Papo Lendário #103 — Monstros Bíblicos

Leitura de Pergaminhos #26
03/06/2014
Papo Lendário #104 — Hermes, o Deus Moderno
24/06/2014

Papo Lendario 103

Nesse episódio do Papo Lendário. Leonardo Henrique, Felipe Nunes, e Pablo de Assis conversam sobre os monstros que aparecem na Bíblia Sagrada

Conheça Bahamut e Leviatã, e entenda a rixa dessas duas criaturas.

Veja a origem de tais criaturas e de seus mitos.

Ouça sobre a Primeira e a Segunda Besta, e seus significados.

Musica Final: Leviathan – Alestorm

LINKS:

Papo Lendário #72 – Revelações — Episódio sobre o Apocalipse Biblico
————————————————————————————————————————————————————————–
Padrim do Mitografias

  • Caroline Arcoverde

    Muito bom o episódio, estava esperando por ele!! Pra ser perfeito, só faltou encerrar com essa música:www.youtube.com/watch?v=-dEgWy7kbew

  • Alexandre Buhler

    Muito bom o episodio.

    Eu me surpreendi quando fui ler a historia de jó e me deparei com os 2 monstros, isso a cerca de uns 5 anos atras

    A historia de jó sempre me fascinou, nao porque ele era um devoto que apesar de tudo se manteve fiel

    Na verdade, segundo a minha interpretação a historia conta que Jó se achava o devoto mais fodão do mundo, e no ultimo instante maldisse deus, julgando que ele não merecia isso pois era o melhor de todos e que Deus estava sendo injusto (de fato esteja mas tudo bem xDDD).

    Dae veio Deus e disse: “Ô rapa! eu sou Deus! tu ta tirando? TA VENDO ESSE MONSTRO??? então…. olha denovo! fiz outro monstro e matei aquele primeiro… porra! eu sei o que é justiça então fica na tua!

    sempre quis compartilhar essa minha opinião inusitada, mas não sabia aonde, então ai esta.

  • Olá vocês!
    Muito bom esse episódio. Aliás, sempre que envolve criaturas e mitologia cristã eu gosto bastante.
    Mas vocês falaram sobre criaturas, Deus criar monstros e coisas assim, então ATEUS, o que me dizem disso?
    http://static.fjcdn.com/pictures/A_b9c6f1_2492920.jpg

    É um inseto chamado Mecoptera. A notícia boa é que isso aí não é um ferrão, mesmo assim, ver um troço desses voando pra cima de você, se isso não é um motivo pra ter raiva de Deus, eu não sei qualé.

    Até a próxima =)

    • Por que um ateu iria ter raiva de algo que não existe?
      =P

  • Mais um episódio excelente! Muito bom mesmo!
    Gostaria de uma ênfase maior nos combates que houveram com estes monstros. Algo como uma narrativa de Davi x Golias, que também era um tipo de “monstro”.

    E a serpente? Talvez o que ela fez foi monstruoso, embora ela seja um animal bem conhecido.

    =)

    De qualquer forma, grande trabalho.
    Valeu!

    Abraços.

    aLx

    • Valeu pelo comentario Alx! 🙂
      Golias acaba sendo mais visto como um adversario do que como um monstro em si, apesar de ser chamado de gigante. E claro, acho que a lenda de Davi e Golias merece um episódio próprio.

  • Felipe Veronese

    Excelente episódio.
    Acompanho vocês a muito pouco tempo e estou escutando todos os PODCASTs, gosto muito como abordam os temas e contextualizam-o no decorrer dos programas.
    Parabéns e vida longa ao Papo Lendário!

  • Eduardo Leopold

    Primeiramente, gostaria de dar os parabéns pelo jeito simples e despojado que vocês abordam a questão de mitos e culturas, afinal sempre estão pisando em ovos no que se refere a fatores como fé, religiosidade e visão de mundo. Acho legal o fato de vocês fazerem isso de forma ao mesmo tempo direta e respeitosa, sem arrogância. Geralmente quando se trata de tais temas existe uma polarização de opiniões que sempre torna tudo muito tendencioso, o que não vi acontecer no Papo Lendário.

    No programa Monstros Bíblicos, notei que boa parte do entendimento que se tem dos monstros é construído fora do cânon da bíblia. Por exemplo, ela não relata nenhum enfrentamento entre Bahamut e Leviatã. Também é bem econômica na descrição dos ‘gigantes’, termo que na minha opinião foi uma escolha infeliz da Vulgata Latina para traduzir o termo original ‘derrubador’. Admito que a descrição de Jó sobre o Leviatã é bem grandiosa, digna de Tolkien, mas a do Bahamut bem que pode se passar pelo animal hipopótamo.

    Noto que relatos sobre batalhas entre monstros, gigantes de pedra e unicórnios ou são encontrados em livros apócrifos ou se devem a escolha de tradutores. Para mim fica a impressão que a parte mais empolgante e detalhada dos monstros bíblicos se devem mais a um esforço da imaginação dos leitores com os passar dos séculos do que uma descrição direta que consta na bíblia.

    É claro que tudo o que foi citado faz parte do amálgama de ideias que compõem a concepção de cada monstro e vale a pena ser citado. Apenas acho que deve ser dado mais destaque diferenciando o que consta no texto original e o que se trata de construções posteriores. Isso vale não apenas no que tange a bíblia mas também nos escritos de outras culturas.

    Grande abs!

  • Rachel Barbisan

    Nunca consrgui terminar de cantar a arvore da montanha nos meus tempos de escoteira, bateu uma nostalgia gostosinha aqui.

  • E eu pensei que vocês iam falar sobre qualquer jogo de Final Fantasy. Rs… Preciso ler mais a bíblia, por mais que seja um livro muito difícil, realmente.

    Excelente episódio como sempre, amigos!

    Abraços!

    • Roberto, vulgo Bob

      No Final Fantasy VII, existem, dentre outros, os Summons Bahamut, Leviathan e Kujata. De onde será que tiraram esses nomes? 😛

      Isso sem mencionar Gilgamesh, Ifrit, Shiva, a cidade de Midgar, onde a história se inicia, Sephiroth, e várias outras referências mitológigas presentes neste jogo e em toda a série.

  • Os demonios e monstros de qualquer mitologia ou religião na verdade são todos representações de pecados ou defeitos psicológicos que o ser humano tem dentro de si, conhecidos na psicologia como egos, são muitos e por isso são legião e os ensinos secretos por trás de tudo isso é que o homen tem que vencer a si mesmo, seu lado negro que impede o homen de alcançar a perfeição e só se consegue em meditação e auto conhecimento profundo e que as pessoas tendem a crer que estão fora, mas na verdade são pertencentes a o universo interior do homen, esse sim o maior mistério do universo.

  • O apocalipse não se refere só a Roma e sim a toda civilização de toda época e as 7 cabeças são os pecados dentro do homen, que se degenera e se destroi a si mesmo, o numero 666 é numero de homen porque é o homen caido, o homen é 9 porque representa a sua gestação e cai 3 vezes,em palavras pensamentos e obras, dando 3 noves caidos.o numero 10 é representação de um ciclo, uma roda que se repete em todas as épocas.

  • Os 4 seres viventes são representações dos 4 elementos.

  • Os gafanhotos são representações dos políticos e pessoas que enganam com doçura e roubam e devoram tudo e são protegidos com uma couraça e tem a natureza de um escorpião.etc., assim todo o apocalipse é de extremo simbolismo e poucos são os que compreendem, e não são os religiosos e nem os cientificos que representam a levedura dos saduceus e fariseus.

  • Bruno

    Bacana o tema. Porém preciso fazer uma ressalva. Não sou religioso, mas também não sou ateu.

    Achei a forma e o tom de que vocês falam sobre a igreja, sobre Deus e sobre o cristiano,sarcástico.

    Acredito que a filosofia cristã, como qualquer outra seita ou religião, em essência, também não passa de mitologia. Sugiro à vocês que usem um tom parcial à se referir à isso, assim como falam dos nórdicos, dos gregos e todos os outros. Porque senão, vai dar a impressão que vocês tendem à um discurso daqueles ateus de facebook, que na boa, é um saco!

    No mais, estão de parabéns! Ouvindo um atrás do outro aqui no trabalho!

    • Richard Gonzalez

      Não senti nenhum sarcasmo na voz deles…