Escritos Lendários: O Homem e Seus Símbolos

Papo Lendário #95 — O Caldeirão da Santa Ceia
18/02/2014
Papo Lendário #96 — A Volta ao Mundo em Mais de 80 Pirâmides
04/03/2014

Capa

SONHOS, ARQUÉTIPOS E PSICOLOGIA

O Homem e Seus Símbolos é um livro concebido e organizado por Carl C. Jung. Este é o último trabalho de Jung, concebido quando ele ainda estava vivo e publicado postumamente.
O objetivo do livro é apresentar as teorias de Jung numa linguagem acessível ao homem comum.
O livro foi idealizado após uma entrevista concedida à BBC que fez muito sucesso, e fez com que muitas pessoas entrassem em contato.

Um dos diretores da Aldus Books idealizou um livro destinado ao público em geral e não apenas a acadêmicos. Esta ideia, inicialmente, não agradou Jung, mas o editor foi insistente e, antes de afastá-la pela segunda vez, Jung teve um sonho. Neste sonho ele falava para uma multidão que compreendia o que ele dizia. Assim este livro surgiu.

E se nele há um tema constante, são os sonhos.

Em O Homem e Seus Símbolos não são apresentadas teorias inovadoras à época. Por ser um livro destinado ao “homem comum”, o que se apresenta são conceitos, de maneira que um não especialista entenda. Exemplos, mitos e explicações sobre os símbolos são fartos e ajudam na compreensão das principais idéias que Jung e seus discípulos desenvolveram e que já estavam consolidadas.

O livro é composto de 4 artigos, de autores diversos, tratando sobre psicologia junguiana, e de suas teorias sobre psique, sobre o ser humano.

Chegando ao Inconsciente.

Este capítulo foi escrito por Jung e traz um histórico de como se chegou à teoria do inconsciente, tanto à teoria de Freud como à de Jung. Qual a importância dos sonhos e outros acontecimentos na percepção do inconsciente.
Assim também como a percepção que Jung tinha a respeito dos sonhos e de como eles devem ser utilizados numa análise junto ao paciente ou no entendimento do sonho que se tenha junto a este paciente.

Os mitos antigos e o homem moderno

Neste capítulo, Joseph Henderson concentrou-se no mito distinto do mito do herói, no caso, os mitos dos índios Winnebagos denominados de ciclos Trickster, Hare, Red Horn e Twin. Novamente os sonhos são os catalisadores da análise apresentada e nos dão uma visão diferenciada dos rituais de passagem que os mitos proporcionam.

O processo de Individuação

Marie Louise von Franz nos ajuda a esclarecer não apenas como pode se dar o processo de individuação, mas também apresenta conceitos essenciais como o de Anima e Animus; Sombra e Self. E sua importância tanto para o indivíduo como para a sociedade.

O simbolismo nas Artes Plásticas

Neste capítulo Aniella Jaffé traz uma bela análise de como as artes, sonhos e arquétipos conviveram e convivem até hoje. Também discute os símbolos presentes em várias obras de arte, de diversos períodos e civilizações.

Símbolos em uma análise Individual

Jolande Jacobe apresenta o estudo de um caso e como a interpretação dos sonhos foi ou pode ser utilizada em casos práticos. O mergulho neste caso pode nos dar a idéia não só dos processos pelos quais o paciente passou, mas, também, de como vemos o mundo através de símbolos conscientes e inconscientes.

E há um pequeno capítulo de conclusão, onde M.L. Von Franz faz uma interessante comparação entre o inconsciente e o progresso científico, mais notadamente na química e na física.

Porquê demorei tanto para começar a ler este livro?

Esta é a pergunta que me fiz assim que li a introdução, onde já se entende o porquê de O Homem e Seus Símbolos ser um dos livros mais indicados para qualquer pessoa que queira conhecer mais acerca dos mitos, rituais e até possíveis análises dos motivos que aparecem constantemente em sonhos. E também para quem quer conhecer os fundamentos das teorias de Jung sem precisar se graduar em psicologia.

Ser acessível desde o primeiro capítulo foi o que me cativou definitivamente, e com sua leitura muitos conceitos que são constantemente falados quando o assunto psicologia, mitos, arquétipos e o ser humano ficam mais claros.

Jung, Carl. G (et al). O Homem e seus Símbolos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 2008

PS: Jung é referenciado em vários episódios do Papo Lendário, mas há 3 episódios que podem complementar a leitura deste livro:
Papo Lendário 29:  Quarteto Lendário
Papo Lendário 87: Uma Introdução à Psicologia
Papo Lendário 88: (Des)Complicando a Psicologia

  • Sim livro sensacional, terminei de em janeiro desse ano, não sou da área da psicologia e pude ter uma boa compreensão…

    • Nilda Alcarinquë

      Olá Isabela!
      Posso dizer que o lemos na mesma época!
      Ou pelo menos terminamos a leitura na mesma época.
      É mais um livro que vai ficar junto com outros que uso como referência.

      abraço

  • Excelente dica! Comprei o livro!