Papo Lendário #92 — O Judaísmo Messiânico

The Almighty Johnsons — Resenha
09/11/2013
Leitura de Pergaminhos #23
27/11/2013

Nesse episódio o Papo Lendário Leonardo Henrique, Pablo e o ouvinte convidado Bryan Moreno conversam sobre o Judaísmo Messiânico

Conheça essa religião.

Entenda se de fato é ou não uma ramificação do Judaísmo.

Saiba quem é Yeshua.

Veja como é importante refletir sobre sua própria religião.

Musica Final: Hava Nagila — Dick Dale

LINKS:

Papo Lendario 84 — Nos Bastidores: Deus

————————————————————————————————————————————————————————–
Padrim do Mitografias

  • Alan

    Tenho um grande amigo que é “Judeu Messiânico”, segue o site dele sobre a religião http://yashrut.com/

    Acho que vale a visita de quem se interessou pelo assunto e até uma conversa pra colocar pontos de concordância e discordância ilustrando mais um pouco os dois lados.

    Acho que vale comentar que sou católico..mas adoro estudar mitologia e religião, sou grande fã do podcast e já indiquei o podcast pra esse meu amigo.

  • Excelente cast!

  • Alexandre Gandra

    Outra linha bem interessante é o judaísmo humanista. Eles buscam uma visão bem… err… humana das histórias e tradições judaicas.

    Eles não se interessam pelo lado fantástico ou sobrenatural destas tradições / histórias, mas o que elas revelam sobre nós mesmos.

    Compensa dar uma olhada.

  • Olá, conheci o pod à poucas semanas, e estou gostando bastante, sou cristão evangélico, e na época de faculdade fiz uma busca parecida, questionando a fé, a prática e a religiosidade. Depois de uma jornada por história, arqueologia, filosofia, biologia, fiquei mais convicto de minha fé, mais cético em relação às práticas “interpretativas”. Não quero fazer um comentário gigante então vou fazer alguns tópicos. A ciência explica como; o método científico é a verificação de como acontece, muitos confundem achando que a explicação dos porquês filosóficos. Existe uma questão sobre o registro fossil chamada de explosão cambriana, muito interessante. Quanto ao registro minuncioso dos egipícios, quase nenhum povo registra fracassos e humilhações nacionais. Existem várias teorias conciliando evolução com criação um livro que achei interessante nesta linha é “Criação e evolução, 3 pontos de vista, Stanley N. Gundry. Em arqueologia tem ponto e contraponto interessantes em “E a Biblia Tinha Razão…, Keller, Werner, Editora: Melhoramentos” e “A Bíblia Não Tinha Razão, Finkelstein, Israel; Silberman, Neil Ascher, Editora: Girafa. Ta ficoi gigante, vou parar por aqui.

  • Jardel Araujo

    Primeiro podecast do Mitografias que escutei, achei interessante.
    Acredito na história do entrevistado e que fato existem muitos judeus que foram forçados a se converter a outras religões, que ficaram conhecidos como “B’nei Anussim” e que estão voltando para as raizes.
    Mas existe um problema sério com as pessoas(que estão retornando), pois acabam criando “outras coisas” por talvez desconhecer o Judaísmo, na minha opnião é um pouco da caracteristica imediatista do ser humano. O “Judaísmo Messiânico” é um exemplo disso. Sou Judeu e na minha opnião é um erro. Sou integralmente contra misturar ou como ele mesmo comentou procurar um “caminho entre um e outro”. Uma religião é uma religião, outra religião é outra religião. Independente se uma ta certa e outra errada, não é isso que estou falando. Mas sim por suas definições, particularidade ou tradições que existem em todas as religiões.
    Concordo com o Pablo, com a definição que foi dada onde ele explica que ele não caracteriza o “Judaísmo Messiânico” como Judaísmo, mas sim que ele vê mais como Cristianismo.
    Discordei de muitas coisas, mas acredito que faz parte…rs
    Discordo dos dois na questão do evolucionismo. A verdade é que ele nunca foi provado ou disprovado, logo continua como Teoria. Darwin dá as condições no próprio livro dele “On the Origin of Species”, para caso a Teoria dele estivesse certa.
    Discordo da explicação do Pablo, que falou que “a ciência sempre parte de fatos”…a física e física quântica ta cheia de exemplos contrários a isso. Nem sempre o cenário é perfeito.
    Discordo da explicação do Pablo, sobre Adão. Adão não significa “Homem Vermelho”…hehehe. O nome Adão vem do hebraico אדם(que pronuncia-se ‎Adam). No Judaísmo a própria palavra já contém nela o significado. Adam é formado pela letra א(Alef) que também é o número 1 e a palavra דם(Dam: Sangue)…”Alef” corresponde a parte Divina no homem e “Dam” o Sangue. Mas como a explicação é muito longa não tem como explicar aqui.
    Discordo da explicação do Pablo, sobre a esposa de Caim. Na bíblia em geral, a maioria das genealogias só contam os homens por isso não existem NORMALMENTE mulheres nas genelogias. Logo Adam e Chavah já tinha tido filhas(mulheres), pois como Chavah(Eva) falou: “Alcancei em HaShem um homem” Bereshit(Genesis(4:1)).

    No mais…Gostei do podcast e pretendo ouvir outros…

  • Augusto Tenório

    Mais um religioso que está cada vez MENOS religioso. É aquela velha lógica, basta ir atrás das origens que percebemos as falhas e geralmente acabamos por ignorar esse tipo de pensamento.

    Parabéns.

  • Luiz filipi Baraun

    Cara, na boa: “Judaísmo” Messiânico NÃO EXISTE!
    Não existe como Judaísmo, pois isso não passa de uma CORRENTE CRISTÃ que se apropria de elementos judaicos.
    E quem segue essa “religião” não é considerado judeu, são cristãos que querem ser judeus.

    Sou judeu e, respeitando todo tipo de manifestação religiosa, acho lamentável esse tipo de colocação. Vocês entrevistaram esse cara como se ele fosse judeu e esse foi um equívoco muuuuito grande.

    Esse foi o meu primeiro contato com o Cast e infelizmente não poderia ter sido pior…

    • Raniery Zarchai

      Concordo Filipi. Esse foi meu primeiro contato com este Podcast e não podia ser pior! Uma calara falta de respeito com minha fé e meu povo! Judaísmo Messiânico NÃO EXISTE!!! É uma corrente Cristã, que apropiou-se de elementos judaicos, e com isso visa cristianizar Judeus, que venham a cair na ideia, de que “Ahhh é uma sinagoga perto de casa…”

  • Nilda

    Olás!

    Este episódio realmente me surpreendeu. Foi bem diferente e muito, muito bom.
    Foi a primeira vez que ouvi falar sobre esta religião e ela me surpreendeu de uma maneira positiva, independente da polêmica de ser ou não judaísmo ou cristianismo.
    Gosto da diversidade e do sincretismo, e o Judaísmo Messiânico me parece ser uma forma de sincretismo interessante, bem interessante.

    Deu para perceber os conflitos que uma visão mais estreita sobre os escritos bíblicos pode causar e que pode levar a um questionamento da fé, tornando-se um possível motivo para deixá-la de lado.

    Pessoalmente nunca consegui entender quem tenta provar, de qualquer forma, as narrativas bíblicas usando métodos científicos, ou que parecem científicos. Fé e ciência, para mim, são coisas diferentes e se alguém acredita em algo, acredita, e ponto final. Não precisa de provas para isso.
    Se alguém parte para achar provas científicas de sua fé, é porque não tem fé. Acredito na Santíssima Trindade e na virgindade de Maria, é a minha Fé e não me venha com teorias científicas.

    Agora se quero saber como um vulcão funciona ou uma bactéria age, preciso pesquisar e provar, e não ter fé.

    É claro, este é o meu ponto de vista e fiquem à vontade para discordar, porque concordo com com o Pablo: é preciso ver com cuidado todos os tipos de “verdades” que são apregoadas por aí. Tanto as religiosas como as científicas.

    bem, fico por aqui

    abraços

    PS: Se este comentário ficou meio confuso me desculpem, mas esta semana tá meio complicada e escrever textos coerentes tá difícil.

  • Jailson Roberto

    Olá, sou Jailson Roberto, 43 anos, curitibano, economista e atualmente estudante de filosofia. Sou ex-religioso a 5 anos. Uma das minhas concepções é de que o universo é um acaso* (*meio organizado) e a nossa consciência é esse acaso olhando ao redor e perguntando: o que é isso tudo? Nietzsche dizia que o ser humano precisa criar significado. Pra tudo.
    Ernest Becker falava da mentira caracteriológica…bom tem muita coisa para comentar, mas vai um resumo.

    Parabéns pelo podcast 92. No início pareceu uma coisa, mas foi ficando cada vez mais interessante. Se pelo menos a maioria dos religiosos seguissem o exemplo do Bryan Moreno e fossem abertos ao diálogo racional, ao debate de ideias. Lembrando Einstein: Uma mente que se abre a uma nova ideia, não volta ao tamanho anterior. Sugiro uma leitura para o Bryan e para quem interessar:
    A Bíblia Não Tinha Razão (no original: The Bible Unearthed: Archaeology’s New Vision of Ancient Israel and the Origin of Its Sacred Texts) é um livro editado em 2001 sobre a arquelogia de Israel e sua relação com as origens da Bíblia Hebraica. Os autores são Israel Finkelstein, Professor de Arqueologia na Universidade de Tel Aviv, e Neil Asher Silberman, diretor de interpretação histórica do Centro Ename de Arqueologia Pública e Apresentação do Legado Histórico, na Bélgica.

  • Raniery Zarchai

    Sei que os comentários são poucos lidos. E que talvez este meu nem sequer seja lido, mas não posso deixar de falar!!!

    O Podcast tem boa qualidade, neste episódio, o erro foi GROTESCO!!! Não existe Judaísmo Messiânico, o entrevistado é Cristão!!!! Pergunte-o sobre sua educação, se deu-se em Escola Judaica? Quem fez seu Bar Mitsvá? Peça-o a Ketubá de seus pais? Que Rabino o reconhece como Judeu?

    Vocês entrevistaram um cristão, que SE DIZ judeu, e sem nenhum critério falaram de “Um novo caminho do Judaísmo?”

    NÃO!!! JAMAIS!!! Judaísmo é herança familiar, religiosa e cultural. Não existe o elemento yeshua dentro do Judaísmo!!! DEIXANDO BEM CLARO, NÃO EXISTE O ELEMENTO YESHUA DENTRO DO JUDAÍSMO!!!

    Sou Judeu, recebi educação Judaica, frequentei escola Judaica, estudei em yshivá… Creio que NÓS JUDEUS, merecemos uma errata, quicá a participação para deixar claro as Falácias ditas pelo entrevistado…

    Pergunte sequer se na tal “Sinagoga” que é uma Igreja Protestante dele, existe um Sefer Torah Kasher… DUVIDO!

    Caso ele morra, em qual Cemitério ele será enterrado? Porque no cemitério Judeu, tenho plena certeza que não!!!

    Péssima escolha de tema, Péssima escolha de entrevistado e péssima abordagem!

    • Olá Raniery.

      Em primeiro, agradeço por ter escutado o cast.

      Quanto ao tema, já falamos mais sobre isso no episódio de Leitura de Pergaminhos que veio em seguida. Mas não custa nada comentar aqui também.

      O objetivo do episódio não foi dizer qual religião está certa ou não (pessoalmente nem faço questão disso), o objetivo foi mostrar a religião do convidado, e mostrar as duvidas que o mesmo está passando (na verdade esse segundo motivo foi ainda mais forte). E isso foi o que fizemos, por isso não considero tal episódio um erro.

      Sei que a comunidade judaica (posso chamar assim?) não aceita com bons olhos esse tal de Judaismo Messianico, mas é algo que existe (e não apenas da cabeça do convidado), agora se é de fato Judaismo ou não, cada um vai ter sua opinião, e percebo que, em sua maioria, os judeus não aceitam.

      Mas com isso, como disse, o que queremos no podcast é mostrar as religiões (mitologias, etc) e não pregar ou dizer qual a correta, ou como deve ou não ser chamada.

      Por fim, pretendemos sim fazer um episódio sobre Judaismo (e diversas outras religiões), estamos apenas coletando mais e mais informações, por isso seria interessante se continuasse a escutar nosso cast, pois acho que a opinião/crença de um convidado não deve ser motivo para que um podcast seja ruim.

      Continue ouvindo o podcast e seja bem-vindo como ouvinte.

      • Raniery Zarchai

        Obrigado pela resposta…

        Mais uma vez coloco-me à disposição num Cast, para um bate papo sobre Judaísmo. Sou Sefaradi, descendente dos primeiros Judeus que chegaram no Brasil, ainda na colônia.

        Com o devido tempo, se informado, consigo a participação de um Rabino, conforme já disse.

        Entendi o foco no Convidado sim… Mas é que a principio o Termo “Judaísmo Messiânico” cria temor na comunidade Judaica. No último senso, o Brasil teve um crescimento de mais de 10.000 pessoas que se declararam judeus, seriam Retornados Anoussim (esses sim Judeus) e Messiânicos (que não são judeus).

        Fato é que são mais 10.000 pessoas a falar de Judaísmo, sem nenhum critério Halachico (leis religiosas) e isso nos leva a temer, que as atitudes isoladas destas pessoas, que por puro desconhecimento do Judaísmo; acabem se fiando em interpretações erradas da Torah (como eu já vi) e tragam uma carga de Anti-Semitismo desnecessária. O que, graças a D’us o cast não fez!

        Desejo-vos CHAG SAMEACH PESSACH… (Feliz Festa de Páscoa)

        • Nós que agradecemos. Alias seu primeiro comentário foi lido no Leitura de Pergaminhos que sairá no final do mes. Pois, apesar de ser referente a um cast antigo, teve uma opinião e conteúdo bem forte, por isso mereceu ter sido lido.
          Com esse teu segundo comentario, pude entender melhor esse temor que você citou.

  • Raniery Zarchai

    Caso desejem entrevistar um Rabino de Verdade, formado em Yeshivá (Universidade) e com Smicnhá (Titulo devidamente reconhecido pelo Grão Rabinato e pelo Estado de Israel); falem comigo

    [email protected]

    Que converso com meu Rabino, ele ficaria feliz em falar sobre Judaísmo, Cabalah, lendas e mitologias Judias!

    Mas por favor, consertem esse erro grotesco, que beira o desrespeito religioso ao Judaísmo de verdade!!!!!!

  • Jordano Santos Cerqueira

    Fato: O meu feudo sempre será melhor que o seu.
    Fato²: Eu tenho uma bárbie. Mas se você falar que você tem uma Barbie cor roxa e não tiver o selo da Matel não pode.
    Fato³: Religare e Religere é tão bons que religam eu tanto com o divino que eu ganho o poder de ser juíz, julgo o que esta correto e errado no mundo. Mas você pode continuar fazendo ERRADO do geito que deseja, desde que você não cruze esta linha.
    Fato Verídico: Escuto a anos o podcast, mas a preguiça de ver os links relacionados dos posts me adiou até hoje de dar uma de ET BILU e buscar conhecimento… A pior coisa que existe é quando o ser humano se veste de realeza e não permite a liberdade de ser ou deixar de ser do outro… PRINCIPIO DA DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA DE KANT SEMPRE!!!