Papo Lendário #62 — Don´t Panic

Papo Lendário #61 — Zumbi de Raiz
21/02/2012
Papo Lendário #63 — Loucuras ou Divindades?
20/03/2012

Nesse episódio do Papo Lendario. Leonardo Henrique, Pablo de Assis (nerdexpress, metacast) Juliano Yamada e Jessy conversam sobre o que é Psicopatologia e sua ligação com a mitologia grega.

Entenda o que é psicopatologia.

Conheça toda a lenda de Édipo, e aprenda sobre o que realmente é o Complexo de Édipo.

Saiba quem é o deus Pã e sua ligação com o conceito de Panico.

Ouça sobe algumas ideias de Freud.

Musica Final: Balada do Louco — Os Mutantes

————————————————————————————————————————————————————————–
Padrim do Mitografias

  • Thiago Spegiorin

    Por um segundo, achei que seria um especial “Guia Do Mochileiro das Galáxias”….=P

  • Jon

    Sensacional, ouvindo…

  • Clap! Clap! Clap!

    Achei o tema e o conteúdo excelentes!

    Sou completamente leigo no assunto, mas gostei muito do que aprendi no programa de hoje e espero a continuação do tema. Além disso, nessa questão de psicopatologia, não sei se entra algum distúrbio relacionado à loucura, aliás, nem sei realmente qual é a definição de loucura. Mas como meu interesse por Foucault vem crescendo e ele estudou o tema, meu interesse pela loucura vem aumentando também. Apesar de, pelo que entendi, os estudos de Foucault não tem muito em comum com o tema desse programa, pois os enfoques são diferentes.

    Mas, com relação à Psicanálise, que é o que realmente importa, sempre achei uma explicação fascinante, apesar de ser rebatida por muita gente. Por ser formado em Letras, entendo que a Psicanálise é essencial para entender grande parte da literatura produzida no século XX, principalmente na primeira década. Já cheguei a dizer para alguém, certa vez, que a Psicanálise é como uma mitologia (como se eu tivesse poderes para defini-la…) pela maneira como explica as coisas, mas se ela não é a verdade, tão pouco é uma mentira, pois muito do que ela diz é bastante aceitável. Mas como minha área é outra, tomo a Psicanálise como ponto de partida para analisar obras e não pessoas. A própria Análise do Discurso tomo emprestado alguns conceitos da Psicanálise, então sua importância é grande até hoje.

    Quanto ao Complexo de Édipo, gostei muito da explicação e do paralelo com o mito. Acho que ficou bem claro para mim do que se trata. A questão do pânico também, como a maioria das pessoas minha noção de pânico era essa noção do senso comum, diferente da explicação científica dada no episódio.

    Uma última coisa, a leitura do texto do Jung no início do programa ficou muito difícil de entender, mas fora isso o programa está 10! Parabéns e continuem com os temas relevantes!

    Um abraço!

  • Rafael Vieira

    Galera vocês não tem mais feed?

  • Diego Krum

    “Por um segundo, achei que seria um especial “Guia Do Mochileiro das Galáxias”….=P” ²

  • Deângelo

    Baixando e depois vou ouvir.

  • E na semana do Dia Internacional da Mulher, o Mitografias lança um episódio sobre LOUCURA! Coincidência?
    hehehehe…

  • hermes

    muito bom, mas algumas partes de um dos convidados está inaudível.
    abr

  • Felipe Senna

    Olá, sempre venho aqui para dar pontos positivos, mas sempre tem um MAS. Ok, não se assustem. É apenas sobre os microfones usados. Alguns dos participantes tem o áudio bem ruim, independente da dicção. Viu, indolor, =)

    Abs

    PS: Muito bom o episódio 62.

  • Sim, a conexão de alguns participantes nao estava la muito boa em alguns momentos, tanto que tive que colocar alguns efeitos na leitura do Pablo pra suavizar as falhas. Espero que nao tenha comprometido o episodio.

  • Ótimo episódio, pra variar. Muito interessante relacionar as neuroses com os mitos.

    Olha, seria bem interessante se em um episódio fosse um psicanalista para dar a visão da psicanálise/medicina de alguém com mais propriedade do que um psicólogo. O meu xará tem essa mania, e não é de hoje, de dar a entender que deprecia a psicanálise e o freudianismo (existe essa palavra?). Digo isso porque o meu psicanalista de anos, ele mesmo já comentou de édipo comigo sem essa demonização toda desnecessária de um simples psicólogo. Enfim, fica a dica.

  • É uma felicidade poder encontrar episódios tão bacanas como este, em termos de conhecimento gerado e informação transmitida. Como historiador, sempre tive interesse em traçar paralelos mitológicos como os que foram apresentados.
    Sugiro, para um episódio futuro, que falem mais detidamente sobre as implicações mentais / psicológicas em relação às bruxas do período medieval.

  • aLx

    Um detalhe, pra mim, Complexo de Édipo só existe se o cara souber que a mãe dele É mão dele, entenderam?

    Se você não sabe que aquela senhora bem apessoada é a Sra. Sua Mãe Biológica e vc é adotado, então não dá pra falar nada sobre o cidadão.

    A mesma coisa este lanced e irmão que se apaixona pela irmã nas novelas. Os casal ficou junto sem saber que eram irmãos, assim, não existe incesto… agora, se souberem aí sim.

    Tipo OldBoy… é um incesto UNILATERAL.

    kkkk

    Abraços.

    aLx

  • André Azevedo

    Seria legal melhorar o som do Pablo. Ta difícil entender.
    Fora isso, excelente cast. Parabéns =)

  • César

    Muito interessante !

    É como se dentro de cada um de nós habitassem todos os deuses, de todas as mitologias e às vezes um deles resolvesse descer do olimpo e bagunçar nossa mente =D

  • Priscilla Rúbia

    Muito interessante o episódio. Já tinha ouvido falar do Complexo de Édipo, mas nunca tinha lido uma explicação sobre o mesmo. Esperando a continuação! Abraços!

  • Caro Xará Grilo.
    É sempre interessante abrir espaço para novas opiniões. Porém, corremos muitos riscos, como não ser compreendido. Uma coisa é inegável e não existe psicanalista que consiga malabarismo mental suficiente pra provar que existe maior relação entre compelxo de Édipo e o Mito de Édipo do que a apresentada aqui. Pode ser que eu, por ter uma visão mais mitológica e psicológica, não leve em consideração assim a postura psicanalítica, o que em nada invalida esse conhecimento: simplesmente ele não me serve pois me servem mais os mitos originais às construções mentais de Freud. Outra coisa: o Complexo de Édipo é um conhecimento da Psicanálise e não da medicina. Médicos em nada tem a ver com isso – a não ser que sejam psicanalistas, algo que qualquer profissional pode ser.
    Ao mesmo tempo, se formos abrir espaço para psicanalistas falarem quando comentamos sobre psicanálise, teremos que abrir espaço para evangélicos falarem quando falarmos da Bíblia? Ou então para gregos falarem quando comentarmos sobre a Grécia? Ou para Padres quando falarmos sobre rituais católicos? Estamos aqui falando de MITOLOGIA de forma despretenciosa e divertida, não de psicanálise ou de teologia religiosa de forma acadêmica e literal.
    E mais uma coisa: “Simples psicólogo”? “Demonização toda desnecessária da psicanálise”? “Um médico com mais propriedade que um psicólogo”? Realmente, respeito é sempre interessante, principalmente vindo dos dois lados…
    Abraços e até a próxima!

    E aLx, o Coplexo de Édipo é um processo inconsciente, então o “saber” consciente não entra em jogo. E outra, isso não é determinado biologicamente e é possível esse desejo incestuoso com um filho adotado, por exemplo: a questão é o objeto de amor primário que é inconsciente, independente de DNA ou de conhecimento racional sobre a relação…
    Abraços e até a próxima!

  • Pablo,
    não se sinta desrespeitado quando usei o “simples psicólogo”, caso se sentiu ofendido peço desculpas. Eu mesmo me vejo como um simples cineasta com pouca experiência em cinema, mesmo tendo estudado e visto muitos filmes há mais de 10 anos desde que entrei na faculdade.

    “Ao mesmo tempo, se formos abrir espaço para psicanalistas falarem quando comentamos sobre psicanálise […] “Um médico com mais propriedade que um psicólogo?”

    Sim, eu acho que deveriam. Um psicanalista formado em medicina tem muito mais propriedade para falar de psicanálise do que um psicólogo. E seria bem interessante uma visão psicanalista sobre os mitos. É igual a cinema, engenharia, arquitetura, enfim, se for falar de um tema específico, chamem alguém que entenda do assunto, senão não passa credibilidade, pelo contrário, passa arrogância (por mais que exista uma “pauta”), e isso já existe demais na podosfera (vide Jovem Nerd e seus podcasts sobre temas sem nenhum especialista).

    “Demonização toda desnecessária da psicanálise”?

    Para finalizar, não é de hoje que você dá a entender que demoniza a psicanálise e o Freud (inclusive já o chamou de pedófilo ou algo do tipo, não lembro a alcunha exata), se quiser eu posso catar os trechos nos outros episódios e colo aqui com exemplos mais específicos que, pelo menos a mim, dão a entender isso.

  • Ah, e antes que eu seja mal interpretado, eu não disse que vocês são arrogantes, até porque o Leonardo, e você Pablo, já comentaram que estudam sempre mitologia, ao invés de só por uma “pauta”, o que passa bastante credibilidade do Papo Lendário nesse caso.

  • Paulo Maycon

    Já senti que o Pablo de Assis joga para escanteio os estudos do Freud – o que eu concordo, por não ser ciência, por mesmo após todos esses anos ainda não existir um bacharelado ou mesmo licenciatura para isso, por qualquer profissional poder ser (onde está o conceito de especialista nisso?), por ter experiencia própria com colegas de faculdade que ainda graduando em psicologia, fizeram um curso e já abriram consultórios para atenderem como psicanalistas – mas já vi o Pablo de Assis dar o mesmo tratamento a grandes filósofos e para a filosofia como um todo. O que eu discordo profundamente, no entanto, não acho que ele não possua cabedal moral e técnico para falar sobre mitologia e seus desdobramentos.

    Particularmente achei o Pablo Grilo bem arrogante. Favorecendo uma profissão que trato como de maioria de picaratas – assim como a nova modinha de coaching – Eu sou estudante de direito e posso afirmar que a psicologia é de extrema utilidade e necessidade para os operadores do direito, mais ainda quando casos de competência do ECA. Consegue mais uso, na aplicação prática, até que minha amada filosofia. O mesmo não pode ser dito da pseudo-ciência de Freud, que não importa a grande maioria dos profissionais, não faz parte da grade curricular da faculdade de direito (psicologia jurídica temos 2 cadeiras obrigatórias e mais uma infinidade de opcionais, como criminologia, que é fantástica.), e não soube ainda de um tribunal que tenha requerido o parecer de um psicanalista como é corriqueiro a convocação de um psicólogo.

    Por fim, “simples” estudante, para mim é insulto sim. Eu sou um bom estudante, esforçado e dedicado, e pretentado, quando tiver 10 anos de experiencia, ser um GRANDE Magistrado. Quero atingir voos altos mesmo, não pretendo ficar me escondendo atrás de falsa modéstia em um termo enquanto espalho arrogância no resto de minha condutas.

    No mais, um abraço a todos e obrigado pelo excelente trabalho da equipe Mitografias!

  • Para o Pablo Grilo,
    Não entendo porque supostamente deveria haver um especialista em qualquer assunto. O podcast está valendo como artigo cientifico publicado ? Ele é obrigatório para qualquer pessoa estudando sobre o assunto ? Acho que o podcast cumpre sua função e ele não está impedindo um psicanalista de montar seu próprio podcast para debater sobre o assunto (ai sim mais tarde poderia-se até marcar um debate num episódio especial para quem quiser ouvir).

    PS: Além disso, todos sabem que quem está certo mesmo são os analistas de sistemas.

  • Vim babando achando que seria um podcast sobre o “Guia do Mochileiro das Galaxias”!!! Mas não foi… 🙁

    Mas o cast foi muito bom, legal ver que Pan é quase um Saci-pererê, da Grécia!!!

    Até mais galera!!!

    Sigo escutando!!!