Papo Lendário #51 — Who is Pink?

Trailer Papo Lendário #51
06/09/2011
Trailer Papo Lendário #52
19/09/2011

Nesse episódio do Papo Lendario, Leonardo, Juliano Yamada (Multiverso DC), Felipe Nunes (Cidade Gamer), e Pablo de Assis (nerdexpress , metacast) junto com o convidado Ock-Tock (maquina do tempo) continuam a série Caminhos do Herói falando do herói na musica.

Saiba mais sobre o Rock Progressivo

Ouça sobre a jornada de Tommy, da banda The Who

Conheça a história do disco The Wall, do Pink Floyd

Links:

Cena de Elton John em Tommy

Trailer do The Wall

Musica Final: Atirei o Pau no Gato (Falcão)

————————————————————————————————————————————————————————–
Padrim do Mitografias

  • Sério q a música foi a versão do Falcão?!
    HAhahahahahHAHaha
    Depois eu ouço com calma pra ver como ficou a edição… =)

  • Só eu que percebi que o tamanho do arquivo baixado tem 66.6MB?
    O.o

  • hauhauhau Pablo, nem tinha percebido isso! hehe Justo no episodio em que falamos de Rock!

  • Nilda

    Medo! Não vou baixar esta coisa do demo não.. rsrsrs
    Rock não é muito a minha área, mas The Wall ultrapasa qualquer limite/gosto e deve ser visto/escutado pelo menos uma vez na vida.

    O que me fez comentar mesmo é o tema Herói na Música. Faroeste Caboclo poderia ser analisado nesta linha, não é?
    Sim, eu sei, não é rock progressivo, nem mesmo é rock. Mas é uma estória contada numa música que ultrapassa o limite de apenas 3,5 min. Aliás, lembro que na época muitas rádios resistiram em tocá-la, mas o sucesso rompeu esta resistência, talvez realizando o sonho de João de Santo Cristo

  • Valeu muito a pena ouvir este episódio pela participação do Ock-Tock , a diferença do gosto que ele tem em falar sobre o assunto e a voz modorrenta e sonífera dos outros participantes, destaque especial para o Pablo que fala com o tédio entre o pedante e o sou bom demais pra vocês.
    O som de vocês é sofrível, impressionante que o som do Ock-Tock se destaca e parece mais limpo em relação aos outros, é impressionante que o visão histórica que começou a bem menos tempo que vocês, já superou em qualidade de conteúdo, som e edição.
    Encerrar com a música do Falcão foi louvável por tentar dar um clima de descontração, mas destoa tanto do resto do programa que fica até bizarro, pareceu coisa do Pauta Livre News,
    Provável que este comentário será moderado, mas não importa, a opinião está registrada, já nem comento tanto aqui, já que aparentemente os comentários não tem ajudado vocês a melhorar, e talvez nem seja esse o interesse de vocês.

  • Olá, mitográficos. Já ouço o podcast de vocês já há algum tempo mas nunca comentei por aqui (não é um hábito meu comentar em qualquer lugar, na verdade).

    Excelente episódio, deu vontade de rodar o The wall e ficar ali apreciando, mas e o tempo?

    Quanto ao Blind Guardian, eles fizeram um álbum (Nightfall In Middle-Earth) baseando-se numa parte do Silmarillion, e não no Senhor dos Anéis, como foi comentado. Só fazendo minha parte de fã chato! hahah

    PArabéns pelo trabalho! E já espero pelo próximo.
    See ya

  • Ola Ivan!

    Não se preocupe, seu comentario nao será moderado! Agradeço-lhe pela critica, esse espaço é para todos que quiserem opinar! Seria errado de minha parte retirar algum comentario apenas por causa da opinião!

    Realmente o Ock-Tock deu uma boa dinamica ao episódio! Isso deve-se em parte ao desabafo que ele fez em certo momento do episodio. O Papo Lendario realmente tem um ritmo diferente de muitos outros casts, e dificilmente iremos mudar isso radicalmente, pois acho melhor que ele continue assim do que ficar algo falso.

    Nunca achei que o Pablo falasse de forma entediante, talvez por eu me interessar muito pelo assunto. Se a Jessy tivesse participado talvez o ritmo iria ter lhe agradado mais.

    Quanto ao som, realmente o do Papo Lendario não é um dos melhores, mas infelizmente eu como editor nao tenho tempo suficiente para editar tão bem quanto gostaria. Alem disso preciso investir mais nos equipamentos, o que nao é tão simples. Mas lhe garanto que o cast esta tendo sim uma evolução, mesmo que lenta, é só ouvir os primeiros episodios e voce perceberá.

    A escolha da musica foi em parte para zoar, mas tambem porque nao via outra musica da qual poderia finalizar, ja que usei a trilha do The Wall durante o episodio, mas é por isso que ela fica no final, para não se tornar um incomodo. quem nao gosta da musica pode ja parar de ouvir e não perderá nada.

    E por favor, se voce continua ouvinto o cast, nao pare de comentar, nossa motivação é essa! Não lembro de quais episodios exatamente voce comentou (só pelo primeiro nome fica dificil de saber), mas lhe garanto que todos os comentarios são lidos e refletidos!

  • Nilda

    Voltando: só por curiosidade: é o Pablo que enche um copo de água durante o podcast?
    Ou será que já estou ouvindo coisas…

  • Não me lembro, mas é capaz q sim, Nilda…
    =P

  • Jos-El

    Ai ai, infelizmente as pessoas pensam que todo podcast tem que ser “engraçadinho” e/ou cheio de piadinhas sonoras. Por favor, vamos abrir um pouco a mente. O diferencial do Papo Lendário é justamente não ter piadinhas a cada dois minutos e prezar o conteúdo. Certo que a qualidade do áudio poderia ser melhor, mas nem é tão ruim assim. O preço é que dificilmente o podcast se tornará “de massas”, mas se os responsáveis não se incomodarem com isso…

    Quanto ao episódio, a apreciação de música (nesse nível) não é a minha praia. Mas achei legal terem partido pra algo inesperado. No máximo eu poderia fazer a mesma observação da Nilda, Faroeste Caboclo (ótima música que infelizmente sofreu com a exposição incessante) tem a jornada do herói seguida quase a risca. Aliás, o Renato Russo gostava de contar histórias nas músicas, tem outros exemplos além de Faroeste, como Metal Contra as Nuvens (mas essa ficou bem chata).

    A participação do Ock Tock foi bem legal, acrescentou bastante ao cast, mas me dá angustia ele falando, parece que a todo momento vai perder o fôlego.

  • Nilda

    É… estou escutando coisas mesmo… tipo, podcasts de mais.. 😛
    E como o Falcão Azul não tá neste podcast, deve ser vc mesmo… ou minha insônia tá me fazendo confundir as coisas…

    E Mitocôndria, não é crítica a edição. É só flood…

  • Mitocondria, obrigado por responder meu comentário, fui o mais franco e sincero no que escrevi, a intenção não foi a de ofender, mas de deixar claro como me sinto como ouvinte, já de algum tempo, do podcast, imaginei de antemão que se algo que eu dissesse fosse considerado grosseiro ou ofensivo o moderador não aprovaria o comentário, mas o leria ainda assim, então eu deveria dizer o que acho que pode melhorar e não medi as palavras para expressar isto, tapinhas nas costas costumam me fazer sentir autopiedade mas não me movem para melhorar, com esse pensamento achei que um chacoalhão mostrando o positivo e o negativo traria mais resultado e eu continuaria ouvinte do podcast que acima de tudo tem um conteúdo excelente.
    Meu retorno ao comentário foi para expressar minha surpresa ao me ver chamado no twitter como troll pelo Felipe Nunes, a quem aqui em comentários passados já elogiei, por mais de uma vez, dizendo que era quem trazia um equilíbrio ao podcast, antes da Jessy começar a participar.
    Respondi a ele que vocês não merecem leitores Trolls, e aqui me despeço, agradecendo pela boa companhia, com as ressalvas já feitas, que vocês me fizeram desde a participação no Nerdcast.
    Meu primeiro comentário aqui foi no episódio 35, acredito que sou o único incomodado com as questões que apontei, e como dizem na minha cidade, “Os incomodados que mudem”
    Boa sorte a todos.

  • Parabéns, um dos melhores programas!

  • Luan Rubens

    Olá galera, muito bom esse episódio, The Wall em suas duas vertentes (álbum e filme) são de mais.

    é a primeira vez que comento aqui, tô querendo fazer uma maratona, mas tô tendo dificuldade de buscar os episódios por data 🙁

    vlw

  • Stéfano

    Excelente Podcast
    Conheci em um e-mail que o Eduardo Spohr gentilmente me respondeu, o problema agora vai ser arrumar tempo para ouvir todos os outros 50 episodios que eu nao ouvi!

    Parabéns pessoal do Papo Lendário
    Abraço
    @stefanobps

  • Salve, mitográficos.

    Sou fã de rock progressivo, especialmente de Pink Floyd, então é óbvio que achei esse um dos melhores programas que vocês já gravaram.
    Destaque para o Ock-Tock que deu outro show. Presença obrigatória quando se pretende falar de rock ‘n roll.

    Abração.

  • Primeiro cast que ouço de vocês, e como fã de música e de rock que sou devo dizer que gostei bastante. O Pessoal elogiou a presença do Ock-Tock, mas sentia uma certa agonia toda vez que ele elevava o tom de voz demais em sua empolgação, mas isso é frescura minha, seu conhecimento e paixão pelo assunto compensaram o resto.

    Tenho bastante interesse por mitologias em geral, mas sou um tanto preguiçoso na hora de estudar o assunto, um podcast desse tipo é bem vindo.

  • Profissões em alta: CRÍTICO DE PODCAST.

    Sem +

  • Parabéns pelo episódio… Escutei enquanto lavava a louça e fiquei maravilhada visualizando as cenas, fazendo as ligações entre o que vocês diziam e o que eu conhecia…

    Tornarei este um ritual, lavar louça nunca foi tão relaxante e informativo!

  • Voltei aqui só pra dizer que minha birra com a voz do Ock Tock era frescura mesmo, o Maquina do Tempo é um dos melhores podcasts que eu já ouvi, uma pena estar parado.

  • Leandro Crispim – 27 – Fortaleza CE

    Caras, conheci a pouco o podcast de vocês e fiquei MARAVILHADO com esse episódio.
    Sou muito fã de música progressiva, e ver essas operas rock comentadas dessa forma foi ótimo.
    Excelente trabalho galera,
    Sorte, saúde e sucesso…

  • Esse negocio de LER com os ouvidos e se desligar de todo o mundo para apreciar uma musica não é comigo!!! Musica é só trilha sonora mesmo e pronto…

    Mas fiquei muito interessado no filme do Pink Floyd e vou procurar para assistir!!!

    Episodio empático com conteúdo!!!

    Sigo escutando!!!

    Até mais!!!