Papo Lendário #124 — O Bom, o Mal, e o Loki

Papo Lendario 124

Neste episódio do Papo Lendário, Leonardo, Juliano Yamada, Lucas Ferraz e Pablo de Assis conversam sobre o deus da trapaça Loki.

Conheça os diversos aspectos de Loki.

Veja o lado psicológico do mito do deus da trapaça.

Entenda se Loki é bom ou mal.

Musica Final: Cê Ta Pensando Que Eu Sou Loki? — Arnaldo Baptista

————————————————————————————————————————————————————————–
Padrim do Mitografias

  • João Victor Moreira

    Muito bom o episódio galera. Só uma correção, na verdade tyr não perdeu a mão no ragnarok lutando contra fenris. Tyr perde a mão ao oferece-la a fenris pra conseguir destrai-lo a fim de que ele não se mexesse ao ser acorrentado. (a fim de adiar o ragnarok, ja que odin teve visões de que fenris o mataria)

  • Augusto Tenório

    Mudou pra melhor =]

  • Keera Moon

    O pagamento com uma parte do corpo aparece também é utilizado por Shakespeare, na peça O Mercador de Veneza que o judeu Shylock pede como garantia pelo pagamento de um empréstimo 1 libra da carne do Mercador, no julgamento o advogado do Mercador aceita que ele pegue a libra de carne, mas sem poder derramar uma gota de sangue do Mercado, pois derramar o sangue de um cristão em Veneza era crime.

    • Essa é uma falha minha não conhecer essa peça… mas provavelmente a história toda começou aí com Shakespeare! 😀

  • Lopes Júnior

    Acompanho vocês a um tempo e gostaria de acrescentar a minha opinião.

    O mito nórdico semelhante a Jesus seria Balder ou Baldur.

    Grato.

  • Johnny Grandolfi

    Fala galera, Mitomaníacos de plantão.

    Sou o Johnny Grandolfi, 27 anos de Campinas São Paulo.

    Essa é primeira vez que escrevo, e faz tempo que ensaio para isso.

    Conheci
    o Papo Lendário pelo Mundo Freak Confidencial, pelas participações do
    Mitocondrias, e MFC foi meu começo nesse mundo de PodCast
    ‘alternativos’.
    Agora que conheci o Papo comecei pelo começo,
    gostei muito dos temas abordados, aliás uma ótima escolha para os
    primeiros Pods o tema de Morte.
    Estou pelo número 50, e também vi os últimos e meu comentário sobre esse logo chega.

    Tenho que pontuar o número 41# O Feminino Sombrio.
    Gostei
    dessa explanação, primeiro que respondeu um dos principais motivos da
    richa dos Romanos com os Celtas, essas sociedade Matriarcal era muito
    diferente de Roma. Obrigado1. Entender mais essa questão de uma
    ‘necessidade’ de ligação com a Terra. Me fez pensar em muitas coisas
    sobre o porquê da gente ser a gente 🙂 Obrigado2

    Inspirado por vocês fui matar essa curiosidade antiga sobre quem são esses deuses e que raios eles fazem com a gente?

    Vejo
    eles, de um jeito muito forte como Ingredientes do ser Humano.
    Principalmente no mito Grego em que os deuses ajudaram a criar o homem.
    Apesar de que a lenda narra que eles colocaram alguma característica sua
    no Homem. As lendas de cada deus explica muito sobre os suas Essência.
    Que pra mim, adorna a Criação do Homem. Hoje em dia dizemos que são seus
    defeitos e qualidades (eita maniqueísmo nosso). E dai falamos mais
    sobre suas qualidades, não os conhecemos por completo :D.
    Então
    procuro ver Loki como isso. Um ingrediente ‘idealista’ para nos ajudar,
    ou aos nórdicos que o criaram, a exercer uma vontade e espontaneidade.
    Sabe, dar um jeitinho a La Brasileira xD.

    Kkkkk

    Chegando ao Papo #124 O deus da Esperteza

    Ele como Trickester me lembra muito uma palestra do Marcelo DelDebbio (https://youtu.be/nWWuoS8amPw?t=36m19s marquei no momento que ele diz sobre os Trickesters).
    Mas
    eu pessoalmente pensei nele como o início, de botar a coisa pra andar,
    aquele amigo que te convence a entrar num Pneu e empurra morro abaixo.
    Pensado
    sobre ser o deus da Chama explica algumas coisas, comentado por vocês,
    se controlado é muito útil mas um desastre deixa-lo solto.
    Em suas aventuras vejo ele como Companheiro de quem estava junto. Ou seja ele sempre é brother que fecham com o Bonde.
    Em
    Asgard, um lugar que parece que tudo tem seu lugar, ele representa a
    vontade. Fazer aquilo que se quer sem imposição de outrem.
    E
    por fim casa bem, e eu não sei explicar isso, ele ser o pai de Fenrir, o
    lobo que devorará o Sol, matará Odim. Vejo ele como principiador de
    Ragnarök, mais causa que por meio dele pode acontecer. Isso mais
    importante do que o fato dele se libertar das correntes do fim dos
    deuses.
    E em sua prisão, onde a serpente lhe goteja veneno que corrói a face mas aparado pela esposa Sigyn.
    Acho essa parte da lenda muito interessante, ainda não consigo explicar
    muito sobre isso, acho que fica para um próximo email.

    Ah eh! O pessoal diz que foi Loki quem criou a Rede de Pesca.

    Desculpe se disse alguma besteira ou se fui muito chato.
    Abraço a todos, continue o excelente trabalho.

    • Olá Johnny, não foi chato não, pelo contrario, continue com comentarios assim pois acrescenta bastante.