Papo Cético #12 – ¿Filosofia serve para algo?

Papo Lendário #183 – Cosmogonia Maori
12/06/2018
Deuses da Mente
Papo Lendário #184 – Deuses da Mente
26/06/2018

Papo Cético #12 - ¿Filosofia serve para algo?A ciência como forma de conhecimento herdou seu lugar na sociedade da filosofia que a antecedeu. Antes do século XIX, os cientistas eram chamados de “filósofos naturais” e muitas das descobertas eram baseadas em amplas discussões filosóficas. Hoje em dia, com tanto progresso e avanço da ciência, ainda temos espaço para a filosofia? Leonardo, Bryan, Estrela e Pablo conversam sobre qual é o valor da filosofia e se ela serve para alguma coisa?

Duração: 71 minutos

Referências:

————————————————————————————————————————————————————————–
Padrim do Mitografias

  • Oi a todos,

    Muito legal o episódio! Gostei bastante da discussão. Gostei de vários apontamentos, mas pelas ocorrências, vou extravasar aqui o gostaria de ter tido sobre o tema.

    1) Como muito bem dito, a ciência surge da filosofia como uma especialização da filosofia natural no método experimental e de sua divisão em diversas áreas.
    No positivismo francês o Auguste Comte propôs a ideia de que o desenvolvimento da ciência geraria a morte da filosofia, que para ele era sinônimo de metafísica, e de certa forma essa ideia ficou na mente de diversos cientistas, inclusive a redução de filosofia a somente ser metafísica.
    Como bem dito, a coisa não é bem por aí, e há participação da filosofia na construção de pensamento científico também.

    2) A questão do ensino de filosofia é complexa mesmo. O mais interessante, no meu modo de fazê-lo, é usar a história da filosofia como forma de desnaturalizar nosso modo de pensar, mas é preciso trazer questões que fazem sentido em nosso contexto. Por exemplo, posso usar os pré-socráticos para contar o que eles pensavam, como posso fazer isso problematizando o quanto certas ideias tem certidão de nascimento, pai, mãe, e por aí vai; ao mesmo tempo mostrando que certos modos de pensar não são naturais, mas construções de época, como a própria forma de perguntar sobre algo tem forte relação com a época.

    O difícil é pela história do ensino de filosofia no Brasil. Até a Ditadura Militar ela era parte do que chamamos ensino médio. Com ela, a disciplina saiu e muitos professores tiveram de fugir, perderam emprego nas universidades e tudo aquilo que já sabemos. Na USP, por exemplo, grandes professores foram contratados mesmo sem ter mestrado, por exemplo, pela falta que gente para dar aula do curso, o que ocorreu ao longo de todo o país. Ela só não foi extirpada das universidades , pois a legislação da época exigia que para ter o nome universidade precisava ter o curso, como pela necessidade desta na formação de padres. Nisso a academia em filosofia passou a falar só para os pares e fez todo um processo de especialização na academia pois falar da realidade era um perigo de vida. Aí ficou o problema: toda uma geração de professores de filosofia que só a estudaram na faculdade, ou só deram aulas em cursos de filosofia, ou em cursos em que esta é disciplina obrigatória. Nisso o retorno da filosofia ao ensino médio ocorreu sem experiência de seu ensino para adolescentes pelos docentes das universidades, com raríssimas exceções, e com esta tendendo a só falar para si mesmo com um vocabulário muito específico para não ser alvo durante a ditadura.

    3) Como bem falado, a tensão da filosofia com a ciência tem bastante relação com as tensões com a ética. Infelizmente, muitos cientistas esquecem dos absurdos feitos em nome da ciência no século XX, mesmo sendo pseudociência muito do que foi feito. E na verdade, muitos filósofos da ciência que além da questão ética em si, isso tende a ajudar a ciência em diversos aspectos ao forçá-la a não ir em caminhos fáceis e antiéticos, ser mais criativa e mesmo efetiva em diversos campos.

    4) A questão final foi muito legal e bem importante, pois além de cientistas falando sobre, há diversos países querendo tirá-la das universidades, como Japão, por exemplo…

    Tudo de bom a todos e parabéns pelo episódio!