Papo Lendário #97 — Uma Introdução ao Rastafari

Papo Lendário #96 — A Volta ao Mundo em Mais de 80 Pirâmides
04/03/2014
Papo Lendário #98 — Bate Papo Lendário com Rosana Rios
01/04/2014
Papo Lendário 97 -- Uma Introdução ao Rastafari

Papo Lendário 97 -- Uma Introdução ao Rastafari

Nesse episódio do Papo Lendário. Leonardo Henrique, Juliano Yamada, e Pablo de Assis apresentam a religião do Rastafarianismo

Conheça os costumes dos rastafáris.

Saiba quem foi Haile Sellasie.

Entenda como o rastafarianismo utiliza a canábis.

Musica Final: War – Bob Marley

Essa música foi inspirada no discurso que Haile Sellasie fez na Liga das Nações em 1936:

“Enquanto a filosofia que declara uma raça superior e outra inferior não for finalmente e permanentemente desacreditada e abandonada; enquanto não deixarem de existir cidadãos de primeira e segunda categoria de qualquer nação; enquanto a cor da pele de uma pessoa for mais importante que o brilho dos olhos; enquanto não forem garantidos a todos por igual os direitos humanos básicos, sem olhar a raças, até esse dia, os sonhos de paz duradoura, cidadania mundial e governo de uma moral internacional irão continuar a ser uma ilusão fugaz, a ser perseguida mas nunca alcançada. E igualmente, enquanto os regimes infelizes e ignóbeis que suprimem os nossos irmãos, em condições subumanas, em Angola, Moçambique e na África do Sul não forem superados e destruídos, enquanto o fanatismo, os preconceitos, a malícia e os interesses desumanos não forem substituídos pela compreensão, tolerância e boa-vontade, enquanto todos os Africanos não se levantarem e falarem como seres livres, iguais aos olhos de todos os homens como são no Céu, até esse dia, o continente Africano não conhecerá a Paz. Nós, Africanos, iremos lutar, se necessário, e sabemos que iremos vencer, pois somos confiantes na vitória do bem sobre o mal.”

LINKS:
Primeira Igreja Niubing Etiope Coptic de Sião do Brasil (Ras Geraldinho)

————————————————————————————————————————————————————————–
Padrim do Mitografias

  • Rafael Afonso

    Olá:

    Mais um excelente podcast. Foi bom ouvir uma apresentação que não ficasse presa ao estereótipo de raggueiros maconheiros nem no simples de defensores da paz e amor.
    Senti falta em saber o que o próprio Haile Sellasie achava dessa adoração. Pelo que pude apurar na Wikepedia (http://en.wikipedia.org/wiki/Haile_Selassie#Rastafari_messiah) ele ficava em cima do muro, não negando nem afirmando sua divindade. Talvez porque não quisesse desiludir os crentes.
    Isso me fez lembrar a adoração que o consorte da Rainha Elizabeth, Principe Philip, possui numa tribo na ilha de Vanuatu, Pacífico (http://en.wikipedia.org/wiki/Prince_Philip_Movement). Seria um fenomeno similar?

    Grato,

    Rafael Afonso

  • Alexandre Buhler

    Eu realmente achei que ia ser um episodio bem banal, por saber pouco do rastafari e acreditar que fosse algo bem aleatorio sem base XD

    curti bastante o episodio, parabens para a qualidade das pesquisas e do conteudo que vocês sempre trazem =p

    Eu que não tenho tempo para pesquisar sobre assuntos desse tipo por ter 2 empregos, sou eternamente grato por saciar minha curiosidade com vocês 😉

    Vocês ja fizeram um episodio sobre cientologia levada a serio? isso se for possivel??? XDD o do nerdcast é bacana mas tiram muito serio da mitologia e talz
    Eu gostaria de ver o pensamento de vocês sobre o tema

    • Alexandre, no episodio 43 – “Eram os Deuses Astronautas?”. Nós falamos um pouco sobre a Cientologia. É que mesmo levando a sério, é preciso admitir que essa religião é bem diferente, e o simples relato desta pode parecer que se está fazendo uma piada.

  • Nilda Alcarinquë

    Olás!

    Muito bom o episódio e também muito importante para tentar esclarecer uma religião cercada de mitos, preconceitos e muito pouco conhecimento sobre o que realmente é.

    Não posso dizer muito sobre os reis etíopes, mas sobre a Etiópia sempre houveram mitos e descrições que seria um reino poderoso, com muito ouro e marfim. Mas se a rainha de Sabá era mesmo etíope ainda é algo controverso.

    Sobre o cabelo rastafári: querendo ou não, este conceito de manter o cabelo como ele é ajudou na valorização da beleza negra e, por que não, ao movimento black power da década de 70.

    E Leonardo, é fácil visualizar como é um rastafári japonês: O Bento Hinoto, do Mamonas Assassinas, trançou o cabelo quase como um rastafári. E o Jaspion tinha cabelo black power!!

    abraços

  • Olá amigos, tudo bom?

    Excelente episódio, gostei muito! Já tinha ouvido falar que o rastafári era uma religião (inicialmente eu achava que era um movimento somente) e foi muito interessante entender esta religião, bem como as ligações com o judaísmo. Parabéns pelo conteúdo e pela edição sonora, que foi excelente com as músicas do Bob Marley no fundo.

    Valeu, abraços!

  • Ariane

    Oi gente!

    Só passei por aqui pra dizer que adoro o podcast de vocês! Fiquei um tempão sem ouvi-los, mas agora to fazendo uma maratona. Ainda estou no número 80, mas devo chegar por aqui em breve, já que todos os dias escuto um.

    Abraços a todos e vida longa e próspera para vocês e o podcast!

  • asbel

    Pelo que andei lendo, até hoje o imperador do Japão tem um papel eclesiástico muito forte no xintoísmo. O que ele perdeu foi a função política.

  • fico feliz por fazerem essa pesquisa sobre os Rastas,uma Religião antiga que hoje é tida como filosofia.