Tyr e o Lobo Fenris

A Criação do Mundo
14/09/2015
Sobre o Céu — Constelações: Argo
19/09/2015
Traduzido por Bruno Dahia

Quando os deuses perceberam que, segundo o oráculo, os filhos de Loki ameaçavam fazer desgraças pela terra, decidiram então prender o lobo Fenris. Simularam um jogo no qual o lobo tinha que provar sua força, mas este rompeu as correntes. Os deuses preocupados, pediram aos anões que construíssem uma corrente indestrutível. Chamaram-na de Gleipnir e foi feita com as coisas mais impossíveis de se conseguir: barbas de uma mulher, raízes as montanha, os tendões de um osso e uma saliva de uma ave.

Em uma ilha solitária o lobo deveria provar sua força rompendo também essas corrente, que a simples vista poderia ser confundida como pedaço de seda, no entanto o lobo compreendeu o jogo dos deuses, e temeroso de que não lhe deixassem livre, propôs um acordo: ele aceitaria o jogo se um dos deuses colocasse a mão direita entre suas mandíbulas. Tyr sem hesitar, pôs a mão na boca do animal. Fenris foi acorrentado em grande profundidade da caverna de Gioll.

Quando Fenris se deu conta de que os deuses não iriam soltá-lo, e que a corrente era indestrutível, devorou a mão de Tyr. Os deuses ficaram muito felizes por ter prendido o lobo, menos Tyr que perdeu sua mão direita.

[img]https://www.mitografias.com.br/wp-content/uploads/2015/04/tyr.jpg[/img]