Leitura de Pergaminhos #27

Escritos Lendários – Contos de Fadas no Divã
03/07/2014
Mitografias Revive #001: NerdExpress — Nerd Oracular
15/07/2014

Leitura de Pergaminhos 27

Nessa edição do Papo Lendário, especial de Leitura de Pergaminhos, Leonardo e Pablo de Assis fazem a leitura de e-mails do episódio 101 (Tempo, Uma Viagem) ao episódio 104 (Hermes, o Deus Moderno).

Podcasts citados:

Pablo de Assis:

Bola nas Costas Iscuitantes – #317 Esquenta da Copa 2014

Paranérdia 95 – Vai Tomar na Copa

Radioblá #109 – #VaiTerCopa

Leonardo

No momento da gravação ainda não tinha ido ao ar, mas o Leonardo participou do podcast Transmissão Fantasma – 42 – Do Jeito que o Diabo Gosta – onde falou sobre personagens em quadrinhos relacionados ao demônio, capeta, diabo e coisa ruim.

LINKS:

Anticast sobre Antigo Egito

Homem de Taured – videopost

Terminator and Jesus

Musicas Finais:

Episodio 101 — Johnny B. Goode — Martin Mcfly

Episódio 102 — Back in Time — Huey Lewis

Episódio 103 — Leviathan – Alestorm

Episódio 104 — Hermes Trismegisto e sua celeste Tábua de Esmeralda — Jorge Ben Jor

Leitura de Pergaminhos 27 — Divine Immortality — Koke Nunez Gomez

————————————————————————————————————————————————————————–
Padrim do Mitografias

  • Pablo Neves

    Um mês sem cast e Jurandir Filho fica falando asneiras duas vezes por semana? Isso não é justo!

    • Haha admito que boiei um pouco sobre o seu comentário, o que o Jurandir tem haver com isso? rs

      • Pablo Neves

        Admito que parece desconexo, apenas quis expressar aqui que é uma pena que um podcast tão informativo e cheio de conteúdo entre em recesso enquanto alguns podcasters cheios de preconceito, que baseiam suas opiniões em sua própria visão de mundo, que nunca admitem estar errados, e que confundem os ouvintes quanto ao objetivo de seus casts continuem a fazer seus programas toda semana. Em minha opinião, Jurandir é um belo exemplo disso. Mas tem gente que gosta, né? Enfim, obrigado pelo cast de vocês e estarei esperando pelo retorno.

  • Netuh

    Desculpa ai, mas Pablo ai cagou uma regra quando falou que na pratica uma particula nao esta em dois lugares ao mesmo tempo. Ela esta sim, e se comporta como se estivesse… nao é que ela tem a probabilidade de esta em certos lugares, mas que na verdade ela esta em um deles… NAO!!! Esta esta em todos!!

    Mas quando voce mede, ai voce interfere nela e acha um lugar onde ela esta… e so dali em diante que ela vai estar ali… mas antes, ela estava nos outros lugares tambem…

    O experimento do gato, é so um experimento mental pra voce se acostumar com essa ideia…

    • A grande questão, Netuh, é mais epistemológica do que física: se só sabemos de fato onde está a partícula quando ela é medida (vide princípio de Heisenberg), e sempre que ela é medida ela está em apenas um lugar, como dizer que quando não sabemos onde ela está ela de fato está em dois lugares? Não temos como saber, só temos como inferir.
      Se uma partícula tem a probabilidade de estar em dois lugares, mas quando medida ela está em um, o que isso nos diz, que quando não sabemos onde ela está, ela se divide e é a nossa medição que faz com que ela se condense em apenas um ponto? A superposição coerente de Schröedinger nos aponta que é possível concebermos coerentemente uma superposição de estados quânticos, mas isso não quer dizer que a realidade funcione assim, pois isso é um postulado teórico.
      O comportamento probabilístico das partículas só é probabilístico porque nós compreendemos por probabilidades. É o mesmo que dizer que um candidato a presidente está tecnicamente empatado com um outro, ambos com 40% de intensões de votos (com margem de erro de 3%, o que aponta que a discrepância entre eles é de 6%), ou seja, teoricamente, ambos tem o mesmo resultado, porém, na prática, quando contamos os votos fatuais, o resultado cai dentro dessa mesma margem de erros probabilística. Ou seja, até contarmos não sabíamos quem ganhava e a estatística dizia que havia um empate. Quando contamos, soubemos onde estava a vitória de fato.
      Na física quântica é a mesma coisa. A ignorância sobre o que está acontecendo de fato não quer dizer que de fato ele funcione da forma como a gente imagina. Isso tudo depende de interpretações. Existem interpretações que vão pro lado mais “a nossa realidade é maluca!” e outras “a nossa realidade é a mesma, só não sabemos como ela é”… Por isso disse que o problema é muito mais epistemológica – de compreensão, hermenêutica, interpretação, etc – do que física… =)
      Agora, se você tiver referências a artigos científicos que falem e explique isso, por favor, coloque aqui! Vou adorar ler mais sobre isso! =D

  • Lucas Ferraz

    Vão lá, boas férias, voltem logo!
    Abraços!