Papo Lendário #12 — Warning: Trojan

Leitura de Pergaminhos #01
02/01/2010
Papo Lendário #13 — Aprecie com Moderação
25/01/2010

Papo Lendário 12

Nessa edição do Papo Lendário, Leonardo Mitocondria, Juliano Yamada, e Felipe Nunes conversam sobre a famosa Guerra de Tróia.

Veja nesse episódio como uma unica mulher pode ser a responsável por toda uma guerra.

Descubra as diversas divergências na história dessa guerra semi-lendária.

E saiba o porque Páris é um bundão!
————————————————————————————————————————————————————————–
Padrim do Mitografias

  • Uma das histórias que eu mais gosto é essa da Guerra de Tróia.
    Li a alguns anos atrás o livro da Marion Zimmer Bradley “O Incêndio de Tróia”, que este foi a melhor versão dessa história que eu já li.

  • Boszo

    Eae pessoal.

    Po, esse tema é um dos melhores relacionados a mitologia. Muito bom o programa.

    E o Felipe Nunes entende pra caramba enh, bela participação. Podcast tá cada vez melhor.

    Abraços

  • Ah! Que pena q não participei deste episódio!

    Respondendo a algumas questões q vocês levantaram: o Pomo da Discórdia não é necessariamente a maçã dourada. Essa é uma das possíveis representações desse fruto, mais ou menos como o fruto proibido do Jardim do Édem, que todos dizem ser uma maçã, mas que não é…

    E com relação a Hercules estar ou não presente na Guerra de Tróia, não ele não esteve presente, mas não que ele já houvesse morrido, principalmente porque você não tem datas para os eventos mitológicos então não tem como saber de fato (a não ser que sejam datas relativas, algo que o mito da Guerra quase não apresenta). Ele simplesmente não participou porque ele não tinha nada a ver com a Guerra, que era uma guerra política pelo poder da Asia Menor.

    Sobre a situação política de Esparta, ele possuia um Rei e um Senado. O Rei era militar e o Senado era político. O Senado possuia um representante maior, uma espécie de presidente e o Rei precisava respeitar o Senado e seu líder, tal como o Senado precisava respeitar o Rei.

    Sobre o Ajax, o caçador marciano, ele recebeu esse nome em uma época onde vários nomes eram traduzidos para facilitar a aceitação dos brasileiros. E por algum motivo seu nome pegou e foi mais eficar que Jon Jonz. Pra vocês terem uma idéia, Louis Lane quando veio pro Brasil foi chamada de Mirian Lane, para não confundirem seu nome com Luís. O nome Ajax veio na mesma época e foi criado por motivos similares.

    Sobre os fatos históricos da Guerra de Tróia, dizem os arqueólogos que houveram várias guerras naquela região, porque o ponto onde estava Troia era um ponto importante de comércio na Ásia Menor e os gregos sempre quiseram o domínio sobre aquela região mas não conseguiam.

    Sobre os Trojan Horse, eles são programas maliciosos que ainda existem que têm uma função: se disfarçar de programa útil ou importante e instalar um programa espião ou que permita a abertura de uma porta de acesso pra outros vírus ou malwares. Trojan Horse é o nome em inglês pra Cavalo de Tróia. E como nós usamos ainda os nomes em inglês quando falamos de informática, o nome Trojan permaneceu.

    E como sempre, excelente edição e escolha da música pro final! War, é excelente! Tudo bem q ela fala sobre a Guerra do Vietnã, não da Guerra de Tróia, mas a gente releva, né? =P

  • Muito bom o episódio, mitologia grega é sempre interessante.
    A participação do Felipe Nunes foi muito boa, o cara saca bem, chamem-o mais vezes. Pena que o microfone dele não estava bom.

  • Realmente, muito bem falado. O Aquiles partilha do mito semelhante ao do Siegfried, este último que eu costumo brincar dizendo que é a versão nórdica.

    Porém, acho bacana explorar mais as situações tensas e dramáticas quando estiverem tocando nelas. Seria legal vocês terem citado a história onde levam o jovem aquiles para se banhar nas águas do Estige, o rio do inferno que dizia o mito ter propriedades imortais e a única parte que não foi banhada, foi o seu calcanhar, pois era por ali que sua mãe o segurava. Daí então sua única fraqueza era o calcanhar e não por conta da flecha estar envenenada.

    E o Heitor… Parece que nas partes mais dramáticas, mais emocionantes, pelo menos nas minhas preferidas… Vcs deixavam de lado e só davam uma comentada rápida como quem ameaça e muda de rumo. rsrs
    O Aquiles arrastando o Heitor em volta das muralhas de Tróia, dando ‘X’ voltas em sua Biga com o Heitor derrotado (leia-se morto rs) sendo arrastado por uma corda. Até que quando o corpo estava totalmente dilacerado… …O coração e o senso de humanidade do inimigo (no caso, Tróia) estavam da mesma forma… …Destroçados.
    Aí sim, veio a súplica para que Aquiles permitisse que velassem o corpo do Heitor.
    Importante dizer que isso ia contra as tradições, apesar da sanguinolência nos mitos não ser pouca. Após cada batalha, era possível recolher os corpos dos que falharam em combate. Aquiles vestido de ódio ignorou completamente.

    Muito bom o cast, desculpem as críticas e/ou a ousadia dos acréscimos de assuntos que vocês sabem melhor do que eu, mas esses são sem dúvida,
    alguns pontos/comentários que faltaram no cast, na minha opinião.
    Eu gostei bastante, por isso comento e recomendarei, pois eu sempre fui um amante discreto da mitologia e ver uma forma interessante como esta de “rever” alguns mitos e associações paralelas é uma idéia muito boa.
    Ótimo trabalho, pessoal.

  • Pedro

    Muito louco esse podcast
    vou passar a acompanhar
    espero mais tão boms ou melhores quanto esse

  • ai so um pergunta o pablo, e o mesmo pablo do nowlading?

  • Eu nunca tive coragem de ler a Ilíada, nem a Odisséia. Vale a pena?
    No mais, o episódio foi bem legal, parabéns!

  • Respondendo a perguntado Jiraspiom: O Pablo que participa aqui é do Nerdexpress (www.universonerd.com.br/nerdexpress/) e do Metacast (www.metacast.info)

  • Filipe

    Muito bom!
    Lembro que quando era criança meu pai contava a história da guerra de tróia pra eu dormir! xD
    Gostei de saber os detalhes dessa guerra que para mim é marcante,
    uma das primeiras guerras contra “fortalezas”. Continuem assim!
    Parabéns especialmente ao Nunes, belo início cara!

  • Gostei muito desse podcast, e muito do que foi dito, sobre o desenrolar dos fatos e do final onde Helena estaria no Egito, lí algo semelhante em um dos melhores livros que já tive, que foi o: Tróia – O Romance de Uma Guerra.

    Onde envolvem os deuses de forma ativa, lutando com o seu lado predileto.

    Abraço!

  • Leonardo G. de Penêdo, eu que trouxe o desenrolar citado no seu comentário e esse livro fui justamente a fonte que eu usei, não só para esse mas para outras informações. Estava com ele há algum tempo aqui em casa, e aproveitei o programa para lê-lo, e é realmente uma leitura extremamente recomendada.

  • Interessante esse negocio de Esparta ter um rei politico e outro para gerra!!! Será que foi daí que o Brasil tirou a ideia de ter duas constituições???

    Episodio empático, com conteúdo!!!

    Sigo escutando!!! Até mais!!!