Mitologia ou Religião?

Tipos de Religiões (introdução)
04/04/2009
Tipos de Religiões (parte 1) — Panteísmo
10/04/2009

Qual sua religião?

Você acredita em mitologias?

Qual sua filosofia de vida?

Perguntas que, apesar de pessoais, parecem simples à primeira vista, mas que é muito comum que diversas pessoas se enrolem quando têm que diferenciar o que é cada um.

Para isso nesse texto tentarei mostrar uma visão da qual espero irá ajudar a diferenciar o que realmente é mitologia e o que é religião, incluindo também a filosofia e a ciência, mesmo que esses dois últimos itens pareçam um tanto quanto fora de contexto, você irá entender o porquê estão aqui conforme siga o texto.

Perceba que geralmente chamamos as crenças dos antigos gregos de mitologia enquanto que as nossas são religiões. Seria por que nosso credo está correto e o deles não? Mas se for assim, caso eu seja um ateu tua crença, independente de qual for, será apenas uma mitologia para mim.

Por isso a questão do que é mitologia muitas vezes é usado, mesmo que indiretamente, de forma um tanto quanto pejorativa, é comum que se refiram as crenças antigas como sendo apenas histórias para explicar o que era desconhecido, tirando todo o seu mérito religioso.

As pessoas podem falar o que quiser de qualquer mitologia, mas quando o assunto é religião é normal que muitos fiquem com um pé atrás em discutir sobre isso.

Primeiramente esqueça as explicações etimológicas, não importa no momento o que cada palavra significa literalmente, pois esse texto é a partir de minha visão, não pesquisei a opinião de pensadores nem nada, apenas refleti sobre as religiões e mitologias que conheço.

Catedral

Mitologia e religião são coisas diferentes, mas mesmo assim podem estar interligadas. Vamos pegar dois exemplos de crença, a católica e a da Grécia antiga, a primeira é popularmente conhecida como religião e a segunda como mitologia, tanto que não se ouve falar de mitologia católica e nem de religião grega.

Agora vamos ver suas características, em ambas existem deus (ou deuses), nas duas temos explicações de como tudo se iniciou e como irá acabar, além de nos mostrar quem somos, porque estamos aqui e para onde iremos. Mas se continuarmos em tal tipo de observação, iremos notar que, com suas devidas proporções, ambas são parecidas, isso não significa que mitologia e religião são a mesma coisa, mas sim que a crença nos deuses gregos antigos não é apenas mitologia e sim uma religião, mesmo que não esteja mais ativa.

É a mitologia que nos conta, através de histórias, a origem de como tudo surgiu, o motivo para que tudo seja como é, e não a religião. Em praticamente todas as mitologias há um Genesis, há uma origem da humanidade, e há um “Apocalipse”. Na maioria (se não todas) das religiões encontramos tais conceitos, isso se deve ao fato de que as religiões possuem mitologias, mas para ser uma religião é necessário ir mais além. É comum encontrar em muitas mitologias um pós-vida no qual se diferencia as pessoas que foram boas das que foram más, ou então algo que siga a mesma linha, onde os bons serão recompensados e os maus serão punidos, e para isso é preciso ter um conceito de certo e errado, e é ai que se começa a idéia de religião, pois é com a religião que uma pessoa pensará duas vezes antes de fazer algo, se ela considera isso certo ou errado.

Enquanto a mitologia, como já foi dito, nos diz de onde viemos e para onde vamos, a religião nos diz o que devemos fazer enquanto vivos, é claro que possuímos o livre-arbítrio, mas é a religião que nos diz se o que fazemos é certo ou errado. Além disso a religião nos da os costumes, coisas simples e corriqueiras como por exemplo ir ao templo de sua religião, rezar para o seu deus, comemorar certas datas, não comer certas comidas, e inúmeros outros. O não cumprimento dos costumes de determinada religião podem ou não ser considerados pecados, variando de cada uma, ou seja, isso é um tanto quanto diferente da questão de maniqueísmo, mas mesmo assim são costumes vindos de crenças.

Mas se a religião é o que nos passa a noção de certo e errado, significa então que uma pessoa sem religião não possui tal noção? Errado! Pois da mesma forma que religião não é apenas mitologia também não é apenas essa noção de certo e errado. Isso nos provém de nossa moral, e é ai que entra a filosofia de vida que citei no inicio do texto, a filosofia de cada um é a moral de cada um, um ateu ainda terá em seu conceito o que ele considera certo e errado.

Templo

As religiões são pacotes que nos trazem a mitologia para nos explicar o que é o mundo junto com uma filosofia para nos ensinar o que podemos ou não fazer, é por isso que pessoas de mesma religião possuem noções de moral parecidas, se não iguais, e também talvez um dos motivos para que povos com religiões diferentes se odeiem tanto, pois o que para um é certo para o outro pode ser um pecado.

Até agora podemos concluir que a religião é formada pela junção de uma mitologia com uma filosofia de vida, ou seja, uma religião não vive sem uma mitologia, mas e o contrario, seria possível? Sim, para isso bastam ver diversas obras literárias como as obras de Tolkien, Lovecraft e outros, em tais mundos fictícios, esses autores criaram suas próprias mitologias, tanto a ponto de se tornarem adjetivos, como mitologia Tolkeniana ou Lovecraftiana (usando os exemplos já citados). Tais obras são diferentes de livros sagrados pois já se apresentam como uma ficção por isso não podem se tornar religiões, mas possuem toda uma estrutura a fim de explicar com histórias e seres como o mundo é formado.

Fazendo um breve resumo podemos dizer que a mitologia é o que nos diz como as coisas são e porque são, a filosofia nos diz o que é certo, errado e o que devemos fazer, e por sua vez a religião é uma junção dos dois anteriores.

Mas ainda falta um ultimo item a ser explicado, a ciência. Mas aqui irei descrever a ciência apenas para nível de como diferenciá-la dos outros três itens que foram abordados. Em primeiro lugar na ciência não existe moral, tal conceito é inteiramente humano (ou divino para os religiosos), pois caso haja um homicídio, tal ato pode ser explicado cientificamente, mas ninguém será punido pela ciência. Portanto a ciência por si só não pode ser considerado como uma filosofia, e muito menos um religião.

Com isso só nos resta compará-la com a mitologia, veja que ambas tenta nos explicar quem somos, de onde viemos, e até para onde vamos. Então a ciência seria um tipo de mitologia? Talvez sim, talvez não. Pois enquanto as mitologias nos ensinam sobre o mundo através de histórias, a ciência nos ensina com conceitos mais presentes e resultados de analises, pela ciência se uma maçã cai no chão é por causa de uma força atuante no momento e não por causa de um deus que definiu isso na época da criação. Porém uma pessoa pode dizer que um ser divino criou o universo, as estrelas e etc, há bilhões de anos, enquanto outra pode dizer a mesma coisa, mas trocando esse deus por uma grande explosão. Ou seja, de todos, a ciência e a mitologia são os conceitos mais próximos entre si. Enquanto um usa histórias o outro usa analises.

Autor: Leonardo Henrique
  • Wilber Lacerda de Jesus

    Bom dia. Ótimo texto. Gostei do site. Muito bom continue assim.

  • Gostei na análise.
    Porém, não concordo que a ciência se aproxime em semelhança à mitologia. Porque a ciência explica o mundo baseada em evidências e suas explicações podem ser verificáveis através do método científico. Ainda posso dizer que a ciência é baseada em fatos e produz resultados reais, a mitologia é baseada em fantasias e nada produz de real.

  • Muito bom o texto, parabéns! Está me dando muito o que refletir. Vou espalhar por aí.

  • Pepe, as vezes penso que a ciência explica o mundo baseada em evidências que estão acessíveis a percepção humana. O que a faz ficar bem próxima da mitologia, que também é uma maneira de explicar o mundo e as coisas, apesar de não se valer do método científico.

    • Hernández Lima

      Mais uma alienada, ignorância aqui é grande pelo visto.

      • Querido Hernández. Antes de sair falando sobre um determinado assunto eu te recomendo fazer uma pesquisa acima do que você está debatendo. Leia um pouco de Mircea Eliade, Joseph Campbell, Jung Mo Sung etc. antes de criticar o trabalho que está sendo feito por aqui. Se quiser ajuda para pesquisar, pode me chamar que eu te passo vários materiais. Obrigado.

    • Des Crente

      A ciência descobre coisas além da percepção humana usando metedologia científica, aparelhos, etc, não através de interpretação subjetiva baseada em emoções, misticismo, etc. Ex: A foto do buraco negro feito um tempo desses foi baseado em algoritmos, já q não se tem como perceber visualmente um buraco negro.

      Mitologia nem na percepção humana se baseia, mas em achismo baseado na interpretação emotiva, sem nenhum critério baseado em metodologia científica. Ex: Onde relâmpagos provariam existência de Zeus?

      • Olá Des Crente.
        “A ciência descobre coisas além da percepção humana usando metedologia científica, aparelhos, etc, não através de interpretação subjetiva baseada em emoções, misticismo, etc”. Exatamente, por isso uma explica através de metodologia cientifica, e a outra explica atraves de interpretação subjetiva. Mitos, e por consequencia, narrativas, são um pouco mais complexos que isso, mas a grosso modo é possivel dizer isso, nesse ponto seu argumento está de acordo com o texto, cujo objetivo foi mostrar que ambos servem para explicar, independente do método que usam e qual é fato ou não.

        “Mitologia nem na percepção humana se baseia, mas em achismo baseado na interpretação emotiva, sem nenhum critério baseado em metodologia científica.” Eu até entendo o que voce quis dizer aqui, mas acho que as palavras não foram exatas, pois as narrativas miticas se baseiam sim na percepção humana, senão nao teria nem como ter tais interpretrações, Pode até não ser uma percepção total, mas por exemplo: É percebendo o Sol e o movimento que ele parece ter ao redor de nós que se tem os mitos solares.

        “Onde relâmpagos provariam existência de Zeus?” Na Grécia Antiga, para tal povo aquilo era considerado verdade, para eles isso seria uma prova. Mesmo que nós saibamos que não é um fato e sim uma narrativa.

        Agradeço pelo comentário.

  • Fllavio

    O conceito de PERCEPÇÃO HUMANA, é o ponto chave nesses tipos de pesquisas/discussões… Assim como alguém sem estudo pode “saber” de muitas coisas as quais nao tem o poder de”explicar”, Assim também uma pessoa com estudos pode provar uma coisa e nao compreender em que isso realmente implica…

  • Hernández Lima

    Você tá louco? A ciência não tem nada a ver com mitologia, coisa mais inlógica que eu já li, pelo visto, cara de religioso pra falar uma asneiras destas. Ciência é um campo de estudo RACIONAL que explica e comprova o mundo. Religiões e mitologias que são fantasias, pois usam conceitos que fogem da realidade e tudo mais, sem contar que é idealização, por isso que é chamado de “crença”. Estava tudo bem até que li tal parte de tal campo racional, realmente você precisa estudar antes de dissertar sobre algum tema. Melhoras.

    • Olá Hernández.

      “Ciência é um campo de estudo RACIONAL que explica e comprova o mundo.” Mitos são narrativas que, dentre outras coisas, explicam o mundo para determinada sociedade, independente se é um fato ou fantasia, para tal sociedade é uma explicação. É possivel se aprofundar mais nessa ideia, mas não tenho espaço aqui para isso. A comparação entre ambas no texto se dá nesse aspecto, o de explicar.

      E não, não sou religioso, isso foi preconceito teu julgando apenas a partir de um texto, aconselho você ouvir nosso podcast para entender a visão cética que possuimos.

  • Jéssica Pereira

    Bom dia, amei o texto, me ajudou muito a formular as questões que eu já tinha na cabeça. Obrigada!!!