Medéia, de Eurípedes

Por Lucas Rafael

Peça triste e que mostra uma Medéia cheia de rancor e mágoa, capaz de fazer as maiores atrocidades para se vingar da traição de seu marido, Jasão. Este que se casou com a filha de Creonte, rei de Corinto, (provavelmente o mesmo Creonte irmão de Jocasta, pois após a morte do rei de Corinto, um arauto vai a Tebas e avisa Édipo de que agora é rei de Corinto e Tebas, com Édipo exilado e com Creonte no trono real de Tebas, o único que possui o direito sobre o reinado de Corinto é também ele).

Na peça Medéia tenta por todos os modos se vingar de Jasão pela traição e humilhação a que a sujeitou, Creonte, rei de Corinto, sabe que Medéia é uma bárbara feiticeira, e a exila, por medo de que, em sua raiva, planeje algo contra sua filha e a casa real, ela então suplica por mais um dia de permanência para que arrume tudo para sua partida, é neste período que põe em prática seus planos.

Jasão oferece a Medéia uma ajuda em dinheiro para que vivas bem no exílio, visto que ela se nega a se humilhar e viver com ele no palácio como ama da rainha, pois ele insiste que só tomou o leito da princesa porque assim seus filhos com Medéia teriam irmãos no governo de Corinto e fariam parte da primeira fileira da cidade.

Ela recusa a oferta e furiosamente o se despede dele com palavras duras, enquanto em seu íntimo maquina as mais cruéis atrocidades. Para sua sorte, encontra Egeu, rei de Atenas, que ia ao Oráculo de Delfos, para saber quando teria filhos, pois ainda não possuía nenhum, conta ela a ele a sua história e pede exílio em Atenas, ele aceita e faz um juramente a pedido dela, assim os seus planos estão mais seguros, pois que terá para onde fugir.

Ela então prepara tudo, chama Jasão e pede desculpas falsamente por tudo que fizera e pede a Jasão que seus filhos sejam criados em Corinto em quanto ela vai ao exílio, ele diz que não sabe se Creonte concordarás, e ela manda a princesa presentes para que ajude a dobrar o rei.

[img]http://www.mitografias.com.br/wp-content/uploads/2015/04/medeiaeuri.jpg[/img]

Entretanto, esses presentes são sua vingança, visto que contém seus feitiços de modo que a princesa morre após vesti-los, esta descrição no livro é crua e fria, a princesa se decompondo com a carne saindo do corpo, no fim nem dava pra identificar o rosto dela, Creonte, desesperado se abraça à filha e morre do mesmo modo.

Jasão parte furioso ao encontro de Medéia que esta realizando a parte final da vingança, ela mata os próprios filhos para castigar Jasão, vence a si mesma e a sua consciência e os mata com o ferro cruel de forma brutal, Jasão, em seu desespero, implora para que ela abra a porta a fim de ele ver os filhos, mas ela não permite e foge levando o corpo dos filhos no carro que lhe deu seu avô, o Sol, de quem é descendente.

Assim termina essa tragédia, em que Medéia tira quatro vidas para se vingar da traição do marido, sendo que duas delas tirou com as próprias mãos e eram esses seus próprios filhos.