Papo Lendário #125 — O Vodou Haitiano

104 Flares Twitter 0 Facebook 104 Filament.io Made with Flare More Info'> 104 Flares ×

Neste episódio do Papo Lendário, Leonardo, Nilda Alcarinquë, e Pablo de Assis conversam sobre a religião Vodou do Haiti.

Veja como essa religião é má compreendida.

Conheça quem são os Loas.

Entenda o conceito de alma para os voduístas.

Musica Final: Voodoo – Black Sabbath

————————————————————————————————————————————————————————–

  • Nícolas Caliman de Oliveira

    Nem ouvi o podcast e já vou comentar que é ótimo terem escolhido um tema que é tão demonizado pela nossa sociedade, mas que foi tão importante para a revolução Haitiana. Como tudo que provem da África a cultura católica/europeia tende a inferiorizar. Quando o Haiti e sua revolução comandada e realizada por negros venceu e expulsou o exercito francês tomando o controle da mais rica colonia de açúcar das Américas o que as outras nações escravagistas fizeram foi tentar apagar o Haiti da história. O que acontece com ele hoje ainda é fruto do ataque histórico, embargo econômico, e retaliação militar de séculos

    • Olá Nicolas! De fato, citamos essa importância e toda a pressao que o Vodou passou, é tenso ver tanto sofrimento em uma nação tão pequena geograficamente.

  • Fantástico o tema do episódio.

    Concordo quando vocês disseram que o Vodou tem quase o mesmo preconceito que o Candomblé e Ubanda tem aqui no Brasil. Se eu não estiver esngano, acho que as religiões de origem africanas, são as únicas a aceitarem o homosexual.

    Esse episódio me lembrou muito os quadrinhos de Tex, em algumas histórias, os vilões são praticantes do Vodou. E o detalhe é que o personagem é criado por escritores italianos.

    https://en.wikipedia.org/wiki/Tex_Willer

    Parabéns pelo excelente podcast e vocês tenham sempre motivação para o desenvolvimento de novos.

    • Olá Diogo, sim, as unicas que lembro de a ouvir falar em aceitarem a homossexualidade é o Vodou e as afro-brasileiras. Fico curioso para saber de outras, principalmente alguma que não seja africana

      • Será que as orientais não aceitavam ou melhor não recriminavam da mesma forma como as cristãs?

        • Diogo, quanto a orientação e gênero, pelo que sei as culturas orientais acabavam sendo bem patriarcais e isso refletia nos mitos, mas quanto a homossexualidade em si quase não vi nada sobre, seria algo interessante a se pesquisar. Apesar de que quando se mostra relações nos mitos, é sempre visto casais de homem-mulher.

  • Augusto Tenório

    Já tava sofrendo de abstinência.

  • Nilda Alcarinquë

    Deixo aqui o link de uma matéria da BBC que fala sobre como o Vodou está ajudando a reconstruir o Haiti:

    http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/09/150923_vert_tra_haiti_turismo_vodu_ml

  • Mário Serra

    Gostei muito deste podcast e do tema em si, e da maneira respeitosa e cuidadosa que tiveram em tratar o tema. E, como sempre, foram geniais em explorarem os pontos mais interessantes no que diz respeito à religião, liturgia, ritualística e outros do Voodu.

    E quanto à dúvida abaixo, queria lembrar que não só as religiões de matriz africana, mas há outras religiões/religiosidades que aceitam a homossexualidade/transexualidade bem e até tratam-na como algo sagrado e plenamente natural, como por exemplo, a maioria das religiões pagãs/neopagãs como: Wicca, Neoxamanismo, Neodruidismo, Dodecaísmo, Hinduísmo, Asatrú Vanatrú, Bruxaria Tradicional, Stregheria, Jurema Sagrada, Santeria e outras.

    Por exemplo, o Hinduísmo é a que melhor trata do assunto da transexualidade e a intersexualidade, vide as denominadas Hijras.

    Já dentro das religiões neopagãs há todo um movimento moderno/ contemporâneo para o entendimento e estudo das orientações sexuais diversas, em especial a homossexualidade, com a proposta do denominado Paganismo Queer, que é uma vertente dentro do próprio paganismo a afim de se estudar os mistérios e a sacralidade das pessoas queer. Inclusive, há grupos pagãos com membros genuinamente LGBT’s, que mantém culto a figura do deus grego (“agregado”) Antinuos/Antínuoo, uma divindade que é genuinamente homossexual e que é trabalhada/cultuada para fins relacionados a sexualidade homo.

  • Bovver

    Só uma questão a primeira vez que ouvi e tem algumas informações equivocadas. Primeiro Candomblé de Nação Jeje (se fala Jeije) não tem nada a ver com vodu, ou voodoo ou hoodoo. Já que se trata de “orixás” e não possui lwas. No máximo no nome de Legba. De resto se trata de “orixás” que se denominam de Voduns ou Vodunsis não são parecidos com os lwas.

    E Oxumare é somente HOMEM o que seria mais parecido com o falado seria Logun Ede que por ser filho de Oxossi com Oxum cada 6 meses fica com um, o que virou no popular um orixá 6 meses homens e 6 meses mulheres. Mas isso é completamente errado.

    Outra questão existem diversas nações dentro do candomblé sendo as principais KETU, Nago, Angola e Jeje. Logo quando falar em candomblé o melhor seria explicar de qual nação em especifico.

    por se tratar de um podcast explicando Mitologia deveria ter um aprofundamento maior.

    • Nilda Alcarinquë

      Olá Bovver!

      Obrigada pelo comentário e obrigada pela correção da pronúncia de Jeje.
      Falei sobre a relação entre o Vodou e o Candomblé de nação JeJe por ter encontrado esta ligação em alguns textos sobre o Vodou e em outros sobre Candomblé.
      Como houve um espalhamento dos africanos pelas américas e, neste processo, povos diferentes tiveram que começar a conviver, há um sincretismo que faz com que os cultos e cerimônias tenham tanto características em comum como diferentes em cada lugar. É com base nisso que vi lógica nestes textos e confesso que não fiz uma pesquisa maior sobre o Candomblé da nação Jeje, que não eram o foco deste episódio.

      Ainda estamos estudando sobre Candomblé e mitos da áfrica sub-saariana (particularmente estou me concentrando nos yorubás no momento), e aí pretendemos fazer episódios com mais conteúdo específico. Na última Leitura de Pergaminhos o Leonardo fala algo sobre isso.
      Sei que podemos cometer erros, ou usar fontes que não sejam aceitas pela maioria, então sinta-se à vontade para vir aqui comentar e apontar problemas, como estes que você apontou.

      abraço

    • Olá Bovver.

      Mesmo que sejam diferentes, Loas e Orixas possuem uma certa relação, em aspectos e nomes, devido a sua origem proxima. Ambos se aproximam com suas origens geograficas. E pelo fato de se denominarem Voduns é possivel identificar uma certa relação entre eles. Além de que o Vodou em geral tem ligação com parte do Candomblé, e com isso com o Candomble Jeje.

      Em algumas fontes é possivel encontrar o aspecto dual do Oxumaré, mas de fato tem outras fontes que não aceitam essa ideia. Como toda boa religião e crença, nunca é algo exato.

      Sim, existem várias nações onde se encontra o candomble, mais um motivo para o mesmo ser bem plural, mas esse não é um episodio sobre candomble então não faz sentido nenhum nos aprofundarmos em nenhum de suas nações.

      Quanto ao tema de fato do episodio, que foi vodou haitiano, nosso objetivo foi ir alem do conhecimento popular, do qual muitos apenas ligam tal vodou com zumbis, bonecos, magia negra, morte, e sacrificio. Falamos da:

      Origem
      Conceito e complexidade dos loas
      Revolução haitiana
      Aspecto de sua divindade maior
      Conceito de “alma”
      Como eles veem a Africa
      Fizemos uma reflexão quanto ao conceito de religare/religere
      Apresentamos como se faz um boneco de vodu
      Apresentamos alguns loas

      Se isso tudo não foi aprofundado, não se preocupe, pois isso significa que teremos mais e mais episódios sobre o assunto. Mas então diga, o que mais podemos nos aprofundar? Lembrando que estou falando de Vodou Haitiano, e não candomble, que não foi o tema do episodio.

      Muito obrigado pelo comentario Bovver, seja bem vindo e espero que continue a nos ouvir e comentar. :)

104 Flares Twitter 0 Facebook 104 Filament.io 104 Flares ×